segunda-feira, 3 de outubro de 2022

Operação Paralelo prende 15 pessoas no estado do Maranhão

Entres os dias 3 e 4 de junho, a Polícia Civil do Maranhão, sob ordem direta da Delegacia Geral de Polícia Civil, deflagrou uma megaoperação batizada de “Paralelo” que faz parte de um conjunto de ações do Sistema de Segurança Pública com a finalidade de reprimir de forma qualificada crimes consumados e, com ações de policiamento ostensivo, promover a prevenção delitos em geral em cidades das Regiões Tocantina e dos Cocais.

Nessa primeira fase da operação, nas cidades de Imperatriz e Timon, equipes da Polícia Civil saíram às ruas para cumprir mandados de mandados de busca e apreensão, prisão e internação provisória.

Como resultado de dois dias de operação, foram cumpridos:

  • 13 mandados de busca e apreensão
  • 9 mandados de prisão preventiva executados
  • 6 pessoas presas em flagrante
  • 1 pessoa apreendida
  • 2 armas de fogo e drogas apreendidas

De acordo com coordenação da operação, as prisões são de pessoas investigadas por homicídio, estupro, documento falso, descumprimento de medida protetiva, assalto, porte ilegal de arma de fogo.

PM do Pará preso

Na região Tocantina, entre as prisões, está a de um policial militar do Pará, reformado, suspeito de matar o colombiano Fernando Manjin, em 12 de novembro 2021, no bairro Bacuri, em Imperatriz. Outra prisão realizada foi de uma mulher suspeita do homicídio de Adão Conceição Carvalho, ocorrido no dia 1º de agosto de 2020, também no bairro Bacuri, em Imperatriz.

– Publicidade –

Outros destaques