sábado, 16 novembro, 2019
Início Mais Notícias 15ª edição do Diálogos Insurgentes discute o futuro dos Direitos Humanos

15ª edição do Diálogos Insurgentes discute o futuro dos Direitos Humanos

No dia 18 de novembro, o Maranhão receberá o professor Boaventura de Sousa Santos, na 15ª edição do Diálogos Insurgentes, promovido pela Secretaria de Estado dos Direitos Humanos. O intelectual português trará para o debate a proposta de se pensar uma nova Declaração dos Direitos Humanos para vigorar nos próximos 70 anos.

O objetivo dos Diálogos é ampliar o debate intersetorial e transversal de temas contemporâneos relacionados aos Direitos Humanos e que contribuem para disseminar a cultura e educação em direitos humanos nos diversos espaços. Os Diálogos também têm se constituído em uma estratégia de envolver academia, estudantes da educação básica, sociedade civil e poder público na reflexão sobre a realidade e formas de intervenção diante dos desafios para a garantia de Direitos Humanos.

Em suas 14 edições anteriores, o evento já discutiu temas como censura, arte, repressão, ditadura militar, previdência, dentre outros assuntos que movimentam os campos social, político, cultural, econômico e intelectual brasileiro na atualidade. O secretário de Estado de Direitos Humanos, Francisco Gonçalves da Conceição, destacou que o “Diálogos Insurgentes” tem se consolidado como um espaço de aprendizado e discussão em um momento de polarização política em que os extremos não conversam e não se respeitam. Quanto à 15ª edição, ressaltou que pensar no futuro dos Direitos Humanos é refazer e reafirmar o tratado de defesa e proteção da humanidade.

Sobre o palestrante 

Boaventura de Sousa Santos é professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e Distinguished Legal Scholar da Faculdade de Direito da Universidade de Wisconsin-Madison e Global Legal Scholar da Universidade de Warwick. É igualmente diretor emérito do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e coordenador científico do Observatório Permanente da Justiça.

De 2011 a 2016, dirigiu o projeto de investigação “Espelhos estranhos, lições imprevistas: definindo para a Europa um novo modo de partilhar as experiências o mundo” (ALICE), que é financiado pelo Conselho Europeu de Investigação (ERC), um dos mais prestigiados e competitivos financiamentos internacionais para a investigação científica de excelência em espaço europeu.

Tem produções publicadas sobre globalização, Sociologia do Direito, Epistemologia, Democracia e Direitos Humanos. Os seus trabalhos encontram-se traduzidos em espanhol, inglês, italiano, francês, alemão, chinês e romeno.

Categorias relacionadas:
- Publicidade -

Mais recentes

Casal morre em colisão de moto e ônibus na Estrada da Raposa

Duas pessoas morreram em um acidente ocorrido na manhã deste sábado (16), na Avenida dos Holandeses, na trecho conhecido como Estrada do Araçagy, no...
- Publicidade -