domingo, 25 de setembro de 2022

434 impressoras subutilizadas em unidades da justiça serão recolhidas

menos lixo eletrônico e menos papel consumido e um meio ambiente mais livre. Este é o resultado do recolhimento de 434 impressoras subutilizadas instaladas nas unidades judiciais. A resolução está contida na Circular 148/2022 enviada nesta segunda-feira (20) para os juízes de Direito e secretários judiciais das unidades.

Os equipamentos a serem devolvidos, sem prejuízo de outros que estejam subutilizados, estão listados em documento expedido pela Diretoria de Informática do TJ, que fará o recolhimento dos equipamentos, conforme prevê a Portaria-GP nº 60/12021. “Essa contribuição será fundamental para alcançarmos os índices de sustentabilidade previstos nas metas da GPJ e do CNJ para aquisição do selo ouro”, frisa a circular.

A redução do número de impressoras por unidade judicial é um dos índices que necessitam ser contemplados para o alcance das metas de sustentabilidade do Judiciário maranhense, e tem como base o Plano de Logística Sustentável (PLS) do TJ.

Para demonstrar sua adesão ao compromisso de sustentabilidade, a Diretoria da Corregedoria Geral da Justiça determinou a devolução de sete impressoras que funcionavam em setores no prédio-sede. “Criamos centros de impressão de referência em cada andar do prédio da Corregedoria para que os servidores possam atender às demandas de impressão”, informou o diretor da CGJ, juiz José Jorge Figueiredo dos Anjos Júnior.

O documento também solicita aos juízes e secretários judiciais do Poder Judiciário do Maranhão, que reanalisem as necessidades de impressão de suas unidades e encaminhem as impressoras que estejam sendo subutilizadas para que sejam devolvidas à empresa contratada pelo Judiciário.

O ofício de devolução deve ser remetido via Diretoria do Fórum, e encaminhado à Diretoria de Informática e Automação do TJMA com a informação da numeração da impressora que consta na etiqueta da empresa, conforme exemplo a seguir.

– Publicidade –

Outros destaques