sábado, 26 setembro, 2020
Início Colunista A quarentena é necessária

A quarentena é necessária

A situação mundial atual é semelhante aquela que se assiste nos filmes ou seriados da TV, na qual o isolamento se faz necessário para evitar a transmissão da doença. Pois, o coronavírus é altamente contagioso e muitíssimo perigoso.

Para que se tenha uma ideia, o primeiro caso confirmado na Itália foi em 31 de janeiro e nos 20 (vinte) dias seguintes outros 20 (vinte) casos foram confirmados; hoje, são mais de 27 (vinte e sete) mil infectados, com 2 (duas) mil mortes.

Realidade atual da Itália: ruas vazias

No Brasil, foi divulgado hoje o primeiro óbito relacionado ao COVID-19 e há 8.819 (oito mil e oitocentos e dezenove) casos suspeitos, com 290 (duzentos e noventa) confirmações. Há casos confirmados em São Paulo (164), Rio de Janeiro (33), Distrito Federal (21), Pernambuco (16), Rio Grande do Sul (10), Santa Catarina (7), Minas Gerais (7), Goiás (6), Paraná (6), Ceará (5), Sergipe (4), Mato Grosso do Sul (4), Bahia (3), Amazonas (1), Rio Grande do Norte (1), Alagoas (1) e Espírito Santo (1).

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou uma pandemia de COVID-19, a doença causada pelo novo coronavírus, que já chegou a 118 (cento e dezoito) países e a todos os continentes, exceto a Antártida, e infectou mais de 125 (cento e vinte e cinco) mil pessoas, levando cerca de 4.600 (quatro e seiscentas) mil delas à morte

O Ministério da Saúde recomenda a redução do contato social o que, consequentemente, reduzirá as chances de transmissão do vírus, que é alta se comparado a outros coronavírus do passado.

Pois bem. Algumas medidas devem ser adotadas para inibir a transmissão e evitar o contágio, como, por exemplo, o isolamento residencial (quarentena), lavar as mãos com frequência, utilizar álcool em gel, uso de máscara em locais públicos.

Correta higienização das mãos

Álcool em gel sempre que possivel

Ao frequentar multidões, utilize máscara.

Com isso, houve a suspensão das aulas na rede pública e privada de ensino, como também houve o cancelamento das apresentações, dos shows,  campeonatos desportivos etc.

Vale ressaltar, que isso não significa transito livre e curtir “férias” com as crianças, de nada adiantaria suspender as aulas, e leva-las ao shopping ou parquinho, onde poderá haver alguém infectado e que possa transmitir a doença para sua família.

Evitar ambientes fechados com grandes aglomerações de pessoas, como cinemas, teatros, convenções, shoppings é de bom tom neste momento, sair de casa somente quando necessário, e se for imprescindível.

Existem também, cuidados básicos e pessoais, como cobrir a boca e nariz com lenço de papel ao tossir ou espirrar, após isto, descartar de imediato o utensílio ou se não tiver disponível o lenço, proteja com antebraço (nunca com as mãos).

Um detalhe importantíssimo, é evitar tocar a mão no rosto, pois se sua mão estiver suja ou contaminada,  você pode estar a um passo de adquirir a doença, além disso, é importante não compartilhar objetos de uso pessoal.

Procurar o pronto-socorro, somente com sinais mais graves (dificuldade respiratória, cansaço extremo, febre alta), evitando o contágio das demais pessoas, e ou se contaminar com outras doenças, para qualquer dúvida, o Ministério da Saúde disponibiliza o Disque Saúde  136,  ou você pode baixar o aplicativo Coronavírus – SUS no seu celular.

É importante saber, que quem estiver doente, não deve receber visitas e nem realizar visitas a ninguém.

Essas, precauções estão sendo tomadas, para evitar  uma disseminação maior da doença, pois ela se alastrando ainda mais, poderá haver um colapso, na estrutura de prestação de saúde do país. Não conseguiremos dar suporte necessários a todos os doentes, por isso temos que achatar a curva da epidemia.

Não esquecendo, da H1N1,  também uma gripe, tão perigosa  quanto a COVID-19, as medidas preventivas basicamente são as mesmas, porém contra ela,  podemos contar com a vacinação.

As medidas, são tomadas principalmente para proteger a minoria, ou seja, os mais susceptíveis a doença, os idosos, crianças, pessoas com doenças congênitas ou preexistentes, grávidas e etc.

A boa notícia é que já temos uma vacina em teste, porém provavelmente só estará disponível próximo ano, enquanto isso, vamos nos precavendo.

Estamos fazendo isso, por responsabilidade como cidadãos e claro, por amor ao próximo.

 

Por Luiza Carvalho,
Membro da Sociedade Brasileira de Toxina Botulínica e Implantes Faciais
Cirurgiã-Dentista / Endodontista
Cro-ma 3129
Instagram: @luizacarvalho
e-mail: luiza_scarvalho@hotmail.com
whats app: 98-984058874

 

Categorias relacionadas:
- Publicidade -

Mais recentes

- Publicidade -