terça-feira, 4 de outubro de 2022

Afastamento de Brandão causa grandes mudanças imediatas e na luta pela sucessão

O afastamento do governador Carlos Brandão (PSB) do cargo de governador, o anúncio do candidato a vice na chapa de Weverton Rocha (PDT), a viagem de Othelino Neto (PC do B) (para não assumir o cargo), acontecimentos da segunda-feira que podem sinalizar um estrangulamento nos movimentos sucessórios para as eleições 2022, em curso no Maranhão.

Como já vai fazer 15 dias em São Paulo, para tratamento e saúde, Brandão precisa pedir afastamento do cargo. O sucessor direto seria o presidente da assembleia Legislativa, Othelino Neto, mas caso assuma o governo do estado, não poderia ser candidato à reeleição de deputado. O deputado já viajou para não assumir o cargo. Sendo assim, assume interinamente, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Paulo Velten.

Com a saída de Othelino Neto, assume a presidência da ALEMA o deputado Glaubert Cutrim. Dependendo do tempo de afastamento, o quadro de prioridades da casa pode mudar, uma vez que Othelino Neto apoia Brandão e Cutrim soma com Weverton Rocha. Mas essa é o quadro das possibilidades.

A escolha do vice

Na live das segundas (ontem à noite) do deputado federal Josimar de Maranhãozinho foi anunciado o pré candidato a vice no grupo que tem como cabeça de chapa o senador Weverton Rocha o deputado estadual Hélio Soares, que atualmente é o presidente estadual do PL, no Maranhão e está no quinto mandato de deputado estadual.

A divulgação do nome de Hélio Soares para vice foi feita com a presença da deputada estadual Detinha (PL), do presidente da FAMEM, Erlanio Xavier (PDT). Soares é natural da cidade de Turiaçu, é administrador de empresa e funcionário aposentado da Cemar.

Nesta quarta-feira, primeiro de junho (amanhã) se encerra o prazo de 15 dias que o governador pode se ausentar do estado, sem se retirar do cargo. Portanto, precisa-se esperar mais um dia pra saber pra que lado a engrenagem vai rodar.

– Publicidade –

Outras publicações