domingo, 25 de setembro de 2022

Alunos do Maranhão resgatam saberes ancestrais por meio do olhar moderno sobre química, física e biologia

Disciplina eletiva sobre plantas medicinais reforça aos estudantes a importância do conhecimento popular na saúde alternativa

Professores do Centro Educa Mais Poeta Antônio josé, escola pública de Ensino Médio Integral (EMI) do Maranhão, criaram a eletiva “Saúde alternativa através das plantas medicinais”. As atividades focam em proporcionar aos estudantes a vivência teórica e prática do uso das plantas em diversos aspectos, como no tratamento de doenças e no aprendizado sobre o reaproveitamento de alimentos, retomando conhecimentos populares e saberes ancestrais.

Ao mesmo tempo que proporciona um olhar interseccional entre diferentes matérias, como física, química, biologia, sociologia, história e português, a iniciativa também está diretamente ligada ao protagonismo juvenil e ao aprendizado na prática. Esses eixos fazem parte da matriz curricular do modelo de ensino do EMI, cuja finalidade é promover entre os estudantes a experimentação e a vivência real dos conceitos aprendidos, assim como o desenvolvimento de habilidades importantes para o seu futuro.

“Na área da sociologia, por exemplo, abordamos sobre conhecimento empírico e conhecimento cientifico. Na biologia falamos sobre botânica, nomenclatura das espécies, extração de substâncias, assim como o meio ambiente e a saúde humana. Na química analisamos soluções e misturas, além de aprender sobre compostagem e a diferença entre medicamentos convencionais e naturais. Na física estudamos princípios de termodinâmica, calorimetria, eletrodinâmica, eletrostática, dinâmica de fluidos, mecânica Newtoniana, entre outros”, explica a professora Berenice Marinho Oliveira.

Além das práticas laboratoriais, são feitas apresentações orais sobre as características das plantas. Para isso, os estudantes elaboram fichas técnicas com seus nomes científicos, forma de cultivo, princípio ativo e ação no organismo. Há ainda a colaboração de clubes de hortaliças e jardinagem, assim como palestras com farmacêuticos, que explicam como as plantas podem se traduzir em fármacos importantes para a manutenção da saúde e qualidade de vida.

Projeto pedagógico do Ensino Médio Integral estimula o resgate da ancestralidade

A proposta do EMI é focar no desenvolvimento integral dos estudantes, motivando a realização de seus projetos de vida. Foi pensando nisso que a escola decidiu alinhar a eletiva sobre plantas medicinais a outras disciplinas da grade curricular. Dentro desse contexto, os professores montaram a ideia do projeto interdisciplinar, como uma estratégia para que os jovens pudessem explorar diferentes conhecimentos e aplicar metodologias por meio de recursos didáticos disponíveis.

“Para compreender as características e a história por trás das plantas, incentivamos o estudo a partir de elementos modernos de cada uma das matérias. Os estudantes são colocados para aprender na prática, envolvidos desde o cultivo das mudas até a análise e apresentação das suas possíveis aplicações. Todo esse conjunto de ações e atividades evoca o debate sobre as representações culturais, resgatando valores ancestrais importantes para as famílias e para a comunidade”, comenta Berenice.

Conheça o Ensino Médio Integral

O EMI possui uma proposta pedagógica multidimensional, que se conecta à realidade dos jovens e busca proporcionar o amadurecimento do indivíduo, com o objetivo de prepará-lo não só para o mercado de trabalho ou para o vestibular, mas também para a vida. Um modelo de ensino moderno, público e gratuito, que foca em auxiliar os jovens na construção de seus Projetos de Vida e planos para o futuro.

Em todo o país, 1 em cada 5 escolas públicas de Ensino Médio Integral (EMI), totalizando cerca de 4301 escolas e 960 mil estudantes. A modalidade apresentou crescimento exponencial no último IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), reforçando sua assertividade. Os índices de desempenho e rendimento também surpreendem. Enquanto a média nacional do IDEB foi de 3.9 pontos, o Ensino Médio Integral atingiu 4.7 pontos na média nacional, superando a meta Brasil de 4.6 pontos. Apesar de acumular os melhores resultados do Ensino Básico, o modelo, que promove a formação integral e cidadã dos jovens, ainda é pouco conhecido.

– Publicidade –

Outros destaques