quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

Auxílio Combustível Governo do Maranhão

Ameça da variante ômicron cancela festa de Réveillon em São Luís

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

No dia 26 de novembro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a B.1.1.529 como variante de preocupação e escolheu o nome “ômicron”. Com essa classificação, a nova variante foi colocada no mesmo grupo de versões do coronavírus que já causaram impacto na progressão da pandemia: alfa, beta, gama e delta..

Variante Alfa: a antiga B.1.1.7, identificada no Reino Unido.
Variante Beta: a antiga B.1.351, identificada na África do Sul.
Variante Gama: a antiga P.1, identificada no Brasil.
Variante Delta: a antiga B.1.617.2, identificada na Índia.

Batizada de Ômicron – letra grega correspondente à letra “o” do alfabeto -, a cepa B.1.1.529 foi identificada em Botsuana, país vizinho à África do Sul, em meados de novembro. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a variante pode se tornar responsável pela maior parte de novos registros de infecção pelo novo coronavírus em províncias sul-africanas. Ela é considerada de preocupação, pois tem 50 mutações, sendo mais de 30 na proteína “spike” (a “chave” que o vírus usa para entrar nas células e que é o alvo da maioria das vacinas contra a Covid-19).

Veja o que se sabe:
– Evidências sugerem que ômicron pode facilitar a reinfecção
– Todos os continentes registraram casos da variante
– Medidas não farmacológicas (máscara, distanciamento, ambientes ventilados) funcionam contra variantes
– Não há registro de morte ligada à nova cepa
– Variante apresenta um “grande número de mutações”, algumas preocupantes

O que ainda não se sabe:
– Se a variante é mais transmissível
– Se a ômicron causa sintomas mais graves e mortes
– Se a nova variante apresenta resistência à vacinação

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou nesta terça-feira (30) que serão enviadas para análise laboratorial confirmatória as amostras de dois brasileiros que, preliminarmente, apresentaram resultado laboratorial positivo para a variante Ômicron da Covid-19, após testagem realizada pelo laboratório Albert Einstein.

Para tentar frear o avanço da Ômicron no país, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, determinou que voos com origem de países do sul da África não poderão desembarcar no Brasil. Outros países, como a Inglaterra, também proibiram a chegada de voos vindos da região.

A Pfizer, responsável por uma das vacinas inovadoras contra o novo coronavírus, afirmou que espera conseguir colocar no mercado uma nova versão do imunizante que seja eficaz contra a variante Ômicron em um prazo de até 100 dias. A eficácia das vacinas existentes ainda não foi testada em relação à nova variante.

SUSPENSÃO DO USO DA MÁSCARA MARANHÃO:
No dia 11 de novembro, o governador do Maranhão, Flávio Dino, anunciou em entrevista coletiva uso opcional de máscara em ambientes fechados em cidades com 70% da população vacinada com duas doses ou dose única contra a Covid-19. Flávio Dino explicou a decisão foi tomada após uma reunião com médicos infectologistas, com base nos números da pandemia e da vacinação contra o novo coronavírus no Maranhão.
O boletim da SES, de hoje (30) de novembro mostrou que:
– 364.779 casos confirmados
– Novos óbitos foram registrados nas seguintes cidades: Alto Alegre do Pindaré (1), Grajaú (1) e Imperatriz (2).
– totalizando: 10.289 óbitos.

CANCELAMENTO DO RÉVEILLON EM SÃO LUÍS:
No dia 29/11, o Prefeito de São Luís, usou as redes sociais para anunciar a não realização de eventos de Réveillon da cidade. O Prefeito destacou que por conta do surgimento da nova variante do coronavírus, o fez tomar essa decisão e ainda destacou que o momento pede prudência e responsabilidade.

O Prefeito Eduardo Braide reiterou que toda precaução é necessária para que não tenha uma nova proliferação da nova variante em São Luís, e que não seja necessário regredir dos avanços alcançados.

“Por conta do novo surgimento da variante da covid-19, nós decidimos suspender as festas de réveillon da Prefeitura de São Luís. Esse é um momento de prudência e responsabilidade, já conquistamos muito até aqui no enfrentamento a pandemia e esse trabalho tem que continuar firme cada vez mais. E para tranquilizar ainda mais a população, do ponto de testagem que foi implantado aqui na cidade, apenas 1% deu positivo, reafirmando ainda mais a certeza que a vacina tem protegido o povo.” disse Braide durante entrevista ao Jornal da Guará.

– Publicidade –

Outros destaques