sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

Auxílio Combustível Governo do Maranhão

Bancários reclamam de mudanças no Edifício-Sede em São Luís

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Bancários da Caixa denunciaram ao SEEB-MA a falta de planejamento do banco, que – de modo repentino – decidiu mudar diversos setores do seu atual Edifício-Sede, no Renascença, para outros imóveis, em São Luís, a exemplo do Solar dos Azulejos, no Centro.

Conforme apurou o Sindicato, a transferência dos bancários e dos setores para o casarão histórico ocorrerá neste sábado (04/12), em razão da reforma no atual Edifício-Sede. A mudança, porém, deverá ser definitiva, pois especula-se que prédio passará a ser a sede de outro órgão público.

“No entanto, para o SEEB-MA, mais grave do que a falta de informações oficiais e de planejamento da Caixa são as condições estruturais do Solar da Rua de Nazaré, por se tratar de um prédio antigo, sem condições de habitabilidade e, sequer, de acessibilidade” – afirmou o diretor do Sindicato, Enock Bezerra.

Vale ressaltar que, por causa dessas falhas, o Solar foi desocupado pela Caixa, em 2017, e seus setores transferidos para o atual Edifício-Sede, no Renascença. Desde então, não se tem notícias de qualquer obra ou reparo na estrutura do casarão.

Diante da falta de informações oficiais e do risco iminente à integridade física dos trabalhadores, dos clientes e dos usuários que frequentarão as dependências do banco no Solar dos Azulejos, o Sindicato encaminhou ofícios ao Setor de Relações Trabalhistas e à Centralizadora de Infraestrutura da Caixa, cobrando explicações. Porém, até o momento não obteve retorno.

O SEEB-MA acionou, ainda, o Corpo de Bombeiros, a Vigilância Sanitária e a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, solicitando uma fiscalização de urgência no casarão.

“O objetivo é barrar essa transferência não planejada, intransigente e irresponsável da Caixa, que pode colocar em risco a vida dos bancários e da população. Não vamos permitir que isso aconteça. Esperamos que as autoridades tomem providências o quanto antes, caso contrário, outras medidas serão necessárias” – afirmou o presidente do SEEB-MA, Dielson Rodrigues.

– Publicidade –

Outros destaques