Caso Edmilson: Polícia diz que alvo pode ter sido passageiro

O motorista do aplicativo Uber, Edmilson Azevedo pode ter sido morto por engano. Essa foi a informação passada pelo o delegado Clarismar de Oliveira Campos Filho, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) durante uma coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (10).

Segundo o delegado, uma das linhas de investigações do caso é que o alvo poderia ter sido os passageiros do veículo. O motorista foi morto a tiros no bairro da liberdade no domingo (6). Segundo o delegado, um dos passageiros prestou depoimento nesta quinta-feira, e foi preso, porque contra ele havia um mandato de prisão por roubo.

O delegado disse que existem duas linhas de investigações. Uma defendida pelos passageiros é que a motorista discutiu com um motoqueiro. De acordo com informações da polícia, imagens de segurança mostram a moto e o carro lado a lado em determinado percurso.

Outra linha de investigação é que os próprios passageiros discutiram com o motoqueiro. O delegado Clarismar revelou que o motoqueiro pode ter reconhecido um dos passageiros, e que o motorista foi baleado por engano.