Começa hoje (07) a Campanha Contra Hanseníase, “Janeiro Roxo”


A Secretaria de Estado da Saúde (SES) realiza, nesta segunda-feira (7), às 10h, a abertura da campanha Janeiro Roxo, no Hospital Aquiles Lisboa (HAL). A ação é executada em alusão ao mês de combate à hanseníase.

O Programa Estadual de Controle da Hanseníase desenvolve ações permanentes de monitoramento e supervisão, além de capacitações técnicas. Já o Hospital Aquiles Lisboa (HAL), referência no tratamento da hanseníase, oferece tratamento multidisciplinar para pacientes com hanseníase.
Em 2018, temos 3.079 casos novos notificados, sendo 650 casos em São Luís.

De acordo com o Departamento Estadual de Epidemiologia, da Secretaria de Estado da Saúde (SES), somente em 2016, foram registrados 3.247 casos da doença. Destes, 314 em menores de 15 anos. Em 2017, com as ações de mobilização, 2.900 pacientes procuraram unidades de saúde para a realização dos exames.

Hanseníase

A doença infectocontagiosa é causada pela bactéria Mycobacterium leprae, ou bacilo de Hansen, e que, se tratada, tem cura. A transmissão se dá pelas secreções das vias aéreas superiores e por gotículas de saliva. Embora seja uma doença basicamente cutânea, pode afetar os nervos periféricos, os olhos e, eventualmente, alguns outros órgãos.

Os principais sintomas são as manchas espalhadas pelo corpo. Outros sintomas são comprometimento dos nervos periféricos e aparecimento de caroços ou inchaço nas partes mais frias do corpo, como orelhas, mãos e cotovelos.

O tratamento da hanseníase é feito por via oral, com poliquioterapia (PQT), um coquetel de antibióticos, fornecido gratuitamente pelo Ministério da Saúde nas Unidades Básicas de Saúde sob a supervisão de médicos ou enfermeiros.