Cordino: mudar para continuar brigando na parte de cima da tabela


Um dos times mais regulares do futebol maranhense nos últimos anos, o Cordino passou pela maior reformulação da sua história e entra no Campeonato Maranhense com um certo descrédito. Isso dois anos após conquistar o vice-campeonato inédito.

Mas para não perder a cara completamente, a Onça assinou com o técnico Marlon Cutrim, responsável pelos melhores momentos recentes do clube. O treinador terá a dura missão de renovar a equipe e ainda brigar por uma classificação para as semifinais.

Pré-temporada

O Cordino foi um dos últimos times a apresentar seu elenco e começar a preparação para a temporada. Após a perda do artilheiro Ulisses e uma campanha pífia na Copa FMF, a diretoria acertou com Marlon Cutrim.

Com o início dos treinamentos, o Cordino realizou apenas coletivos e pequenos jogos treinos para acertar a equipe, mas sem nenhum destaque.

Campanha de 2018

O Cordino flertou com o rebaixamento e com a classificação na primeira fase do Campeonato Maranhense de 2018 e terminou na 6ª posição da competição somando apenas nove pontos.

A campanha teve duas vitórias, três empates e duas derrotas. O ponto alto da temporada foi a vitória sobre o Sampaio Corrêa por 2 a 1 em pleno Castelão, que eliminou o Tricolor do campeonato.

Time-base

Marlon Cutrim

O técnico Marlon Cutrim ressalta a falta de tempo para treinamentos, mas acredita que trabalhando em dobro, o Cordino vai chegar em um bom momento no começo da competição.

“O Cordino se apresentou no dia 2 correndo contra o tempo para preparar a equipe porque não tivemos tempo para fazer pré-temporada. O que pode ser feito e estamos fazendo até o dia da nossa estreia é a velha dobradinha, um tempo de físico e um tempo com bola, uma dobradinha para poder soltar a musculatura dos atletas”, afirmou.

Cutrim também ressaltou a diversidade do elenco e comentou a reformulação total do grupo em relação aos anos anteriores.

“Como o time está todo reformulado a gente encontra um pouco de dificuldade em pontos como marcação. A base do Cordino foi toda trocada, eu fico triste porque perdemos grandes jogadores, mas feliz porque conseguimos valorizar esses jogadores. É um grupo novo onde o jogador mais velho é o nosso goleiro, o Laerte, e o mais novo tem 22 anos. Estamos correndo contra o tempo”, disse.

Além da análise do grupo, Marlon Cutrim comentou a força da competição e das equipes que devem brigar pelo titulo.

“O campeonato vai ser bastante disputado, cinco equipes investiram bastante, o Sampaio, Moto, MAC, Pinheiro e Imperatriz. O Cordino ficou um pouco para trás, mas apostamos na renovação da rapaziada que chegou ao elenco. Esses cinco times têm jogadores de nomes e bem rodados, mas o Cordino vai buscar o seu espaço como sempre fez. Eu acredito que o Maranhense 2019 vai ser muito acirrado, com o mesmo regulamento do ano passado deixa as coisas ainda mais difíceis. Quem vencer mais vai poder ter vantagem nas finais. Sei que o Cordino vai se esforçar muito para chegar nos finalmente da competição”, encerrou.

Leandrão

O Estádio Leandrão, em Barra do Corda, é um dos lugares mais complicados para os adversários do futebol maranhense, mas em 2018 o Cordino conquistou apenas uma vitória em seu campo, além de dois empates e uma derrota tendo um aproveitamento de 41,6%.

A expectativa da torcida é voltar as alegrias de 2017 utilizando-se de seu estádio para vencer as partidas onde conquistou o 1º turno da competição e até hoje lamenta não poder decidir o campeonato diante do Sampaio em Barra do Corda, e teve que atuar em Imperatriz.