segunda-feira, 3 de outubro de 2022

Corpo encontrado em matagal em Paço do Lumiar pode ser de jovem desaparecido há 30 dias

Um corpo encontrado em uma área de matagal, nessa sexta-feira (8), na Vila São José, em São José de Ribamar, pode ser do jovem Marcelo Melo Machado, de 24 anos, portador de deficiência mental, que está desaparecido desde o dia 6 de setembro.

O corpo encontrado estava de bruços, em adiantado estágio de decomposição e com um buraco à altura do rim direito. Somente a necropsia poderá revelar se a perfuração foi provocada por arma de fogo. O homem usava apenas um calção.

A mãe do jovem, Miriam Melo, disse que recebeu uma ligação, por volta das 3h30 deste sábado, para que ela fosse ao IML porque havia suspeitas de que o corpo seria de Marcelo. Ela não se sentiu bem, e o pai foi checar se o corpo encontrado era do filho.

“Pela situação do corpo, ele não teve condições de fazer o reconhecimento, mas, quando ele mostrou a foto, vi que se trata de meu filho. O calção que estava no corpo é o mesmo que meu filho usava quando saiu de casa. Reconheci o calção pela cor e pelas duas listras”, disse a mãe.

O reconhecimento ficará para a próxima semana, após o feriado. Em se confirmando que o corpo é de Marcelo, a mãe, chorando muito, acrescenta que irá lutar para que o crime não fique na impunidade.

Para Miriam, os dois policiais que foram à Pindoba, em Paço do Lumiar, para conduzir o jovem, têm muito a explicar. Os PMs aparecem colocando Marcelo em uma viatura, mas não o levaram à delegacia.

O desaparecimento

Marcelo Melo Machado saiu de sua residência, na Rua 4, casa 24-B, na Gancharia, região do Anjo da Guarda, no dia 6 setembro e não mais retornou.

No dia 20 de setembro, a mãe do jovem, Mirian Costa Melo, recebeu vídeo e fotos que mostravam o filho na localidade Pindoba, em Paço do Lumiar, sendo levado por uma guarnição da PM, que foi ao local após ser acionada pelo Ciops.

Em uma das imagens, do dia 9 de setembro, Marcelo está sentado, encostado em um poste, com as mãos livres. Em seguida, ele já aparece sendo levado para a viatura, com as mãos amarradas por uma corda.

Segundo a PM, a guarnição foi acionada porque Marcelo estaria tentando adentrar as casas e aparentava estar sob efeito de alguma substância. A mãe disse que isso poderia ser em decorrência da falta de medicamentos controlados que ele toma, pois Marcelo não é usuário de nenhum tipo de droga.

Em vez de levar o jovem para uma delegacia da área, onde seria feito o levantamento de toda a situação e tentativa de localizar familiares, os policiais o abandonaram pelo caminho.

Investigação

O desaparecimento de Marcelo Melo está sendo apurado pelo Comando da Polícia Militar e a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Homicídios. Dois policiais militares do 22º BPM já prestaram depoimento. Eles aparecem em vídeo, na Pindoba, em Paço do Lumiar, colocando o jovem amarrado na viatura.

O Comando da PM determinou a abertura de um procedimento administrativo para apurar a conduta dos dois policiais. “Não é procedimento da PM deixar pelo caminho uma pessoa conduzida. O correto é levá-la a uma delegacia para apuração dos fatos”, disse uma fonte do blog.

Ao mesmo tempo, foi aberta investigação na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), mesmo não tendo confirmação de morte. Os dois policiais foram arrolados como testemunhas.

– Publicidade –

Outros destaques