domingo, 25 de setembro de 2022

Depois de reunião na ALEMA, Promotora do Consumidor diz que Ferry Boat José Humberto tem mais de 50 anos

A polêmica sobre o transporte via ferry boat continua. Nesta quinta feira (02) a pauta da Assembleia Legislativa foi  retirada para que uma reunião convocada pelo deputado Neto Evangelista (UB) sobre o transporte marítimo pudesse ocorrer.

Segundo o deputado, a reunião foi convoca com a participação da  Capitania dos Portos, do Ministério Público, empresas operadoras do sistema, além motoristas de van entre outros que agilizam o sistema.

Evangelista afirma que “Tem muita conversa solta e não sabe o que tá acontecendo” e que incialmente os profissionais interessados foram convidados para oitivas na ALEMA, para que, em seguida, se pudesse dar os encaminhamentos, dar uma solução pra sociedade. “O que não pode é continuar esse desserviço, essa intervenção (do governo)”, conclui o deputado.

Pelo Ministério Público participou a promotora do consumidor Lítia Cavalcante. A promotora conta que a situação é muito obscura. Segundo Lítia, “a situação nunca esteve pior. A Baixada está pode-se dizer: isolada. A promotora lembra que antes havia os três ferrys grandes, com capacidade de transportar mais 80 carros. “Depois da intervenção estatal, a serviporto se destruiu”, conclui Lítia Cavalcante.

A promotora do consumidor afirma, ainda, que o Ministério Público tem dez promotores da baixada trabalhando nesse tema. “Mesmo com a licitação ainda em vigor houve a contratação desse ferry boat (o José Humberto) e houve uma recomendação, em seguida, para que fosse revogada a contratação, já que havia uma licitação. E sábado nós fomos surpreendidos com a chegada desse ferry. Esse ferry tem 50 anos, é de rio, estamos aguardando a avaliação da Marinha do Brasil

– Publicidade –

Outros destaques