G10 Editora

Dia Internacional da Enfermagem: uma reflexão sobre campo de atuação e avanços com a aprovação do piso

Portrait of african american physician nurse wearing protective face mask to prevent infection with coronavirus working in studio with blue background. Therapist woman working at healthcare treatment
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

O 12 de maio foi instituído como Dia Internacional da Enfermagem em homenagem ao nascimento de Florence Nigthingale, em 1820, considerada pioneira da enfermagem moderna. No Brasil, a celebração também homenageia Ana Néri, primeira mulher a se alistar voluntariamente em combates militares.

De acordo com o Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren), são 69.317 profissionais da Enfermagem, sendo eles Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem no estado. O presidente do Conselho parabeniza os profissionais neste dia e fala sobre o piso salarial: “A Enfermagem de maneira geral avança com a aprovação do piso salarial da categoria em breve com a PEC 11/2022 que garantirá que esses profissionais recebem seus vencimentos de forma correta”, pontua José Carlos Júnior, presidente do Coren-MA.

A Organização Mundial da Saúde estima que até 2030 o mundo tenha uma necessidade de nove milhões de enfermeiros para atingir a meta de cobertura universal da saúde. Atualmente, os enfermeiros têm possibilidades de desenvolver atividades com assistência direta ao paciente, docência, gestão hospitalar, pesquisa, empreendedorismo, entre outros.

O profissional de Enfermagem atua na promoção, prevenção, recuperação e reabilitação da saúde, com autonomia e em consonância com os preceitos éticos e legais. “Estamos presentes na docência em universidades, coordenação, liderança de equipes, gestão de unidades. Cada dia mais qualificados para o atendimento direto ao paciente”, diz Janaina Lima, coordenadora do curso de Enfermagem da faculdade Pitágoras.

A especialista fala sobre as oportunidades de emprego. “A categoria tem avançado de modo diversificado, ampliando cada vez mais suas áreas de atuação. O momento é favorável para profissionais de saúde, com vagas disponíveis e chances ainda maiores para quem prioriza a qualificação profissional”, orienta.

AÉREAS DE ATUAÇÃO:
Hospitalar: atua em diversas instituições de saúde públicas e privadas ao lado de médicos, prestando os primeiros socorros a pacientes, atualização de prontuários e administração medicamentosa.
Geriátrica: profissional especializado no atendimento de pessoas idosas. Pode trabalhar em hospitais, clínicas de repouso e asilos. Também presta atendimento domiciliar.
Emergencial: atua em prontos-socorros e unidades de atendimento de urgência e emergência.
Cirúrgica: O enfermeiro prepara os pacientes, explica os procedimentos, testa os equipamentos que serão utilizados, esteriliza os instrumentos, sendo responsável também pelos procedimentos pós-operatórios.
Enfermeiro Obstetra e Obstetriz: atua na assistência às gestantes, parturientes, puérperas e recém-nascidos nos Serviços de Obstetrícia, Centros de Parto Normal e Casas de Parto e demais locais onde ocorra essa assistência.
Resgate: atende vítimas no local de acidentes ou calamidades. Integra equipes de salvamento para prestar os primeiros socorros, analisar as condições dos pacientes e transportá-los de maneira segura até um hospital.
Domiciliar: presta assistência na casa dos pacientes. Realiza os mesmos serviços como se estivesse em um hospital, mas sem todos os equipamentos e rotinas destes ambientes.

– Publicidade –

Outros destaques