quarta-feira, 24 de julho de 2024

Diretor do filme Tim Maia se defende após pedir boicote a série da Globo

O cineasta Mauro Lima, que dirigiu o filme Tim Maia, publicou nesta segunda-feira (05) um texto no jornal Folha de S. Paulo, se defendendo da polêmica causada após pedir a amigos que não vissem a adaptação de seu filme exibida pela Rede Globo.

 

Lima explicou que a postagem foi direcionada somente a “duas dúzias” de amigos, e não ao público da emissora. A intenção do pedido, segundo ele, foi incentivá-los a ir ao cinema assistir a obra original, e não a versão editada pela Rede Globo.

 

— O que fiz, numa analogia boba, é pegar minha agenda e ligar para todo o mundo que não viu e pedir para ver a versão original, da forma como a concebi.

 

Ele afirmou também que já teve boas experiências trabalhando com a Rede Globo.

— Não tenho nenhuma intenção de atacar o modo como retrabalham suas produções, até assisti a “Gonzaga” assim, dias atrás. 

 

A polêmica foi causada por um post de Lima dizendo que a série sobre Tim Maia exibida em dois capítulos pela emissora é um “subproduto que não escrevi daquele modo, nem dirigi ou editei”. 

 

Nas redes sociais, o programa foi criticado por distorcer a história do cantor. A série da Globo colocou Roberto Carlos como um herói na carreira de Tim, e acrescentou uma cena em que o homenageado diz: “E foi assim que Roberto Carlos lançou o gordo mais querido do Brasil”. 

Entretanto, a versão original da biografia mostra Roberto como um astro que invejava o talento de Tim Maia e o humilhava constantemente. 

– Publicidade –

Outros destaques