quarta-feira, 12 de maio de 2021

Dois pesos e duas medidas?

Dois pesos e duas medidas?

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

De uma forma geral as pessoas não estabelecem uma relação com os políticos que elegeram, nem muito menos com os políticos que foram eleitos a despeito dos seus votos. Daí, vêm todos os problema de desconhecimentos de direitos e deveres dentro do estado democrático de direito.

Por isso fica tão difícil para o público geral entender por que cortam bolsas de estudo no valor de cerca de 38 milhões de reais e mantem-se o chamado “auxílio paletó”.

É um exemplo rude. Mas o auxilio-paletó é pago aos políticos do Congresso Nacional e de 16 assembleias legislativas no Brasil. Custou no ano passado cerca de R$ 63,1 milhões do dinheiro público.

Veja bem, daria para pagar as bolsas dos pesquisadores por quase dois anos!
Fora isso nós temos exceções múltiplas para tantas regras. Ninguém pode ganhar mais que o teto (o salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal), mas na prática, vários ministros são os primeiros a superar o teto de salários. Ou ainda, vários parlamentares que têm aposentadorias duplas (ou até triplas), passando em muito o teto.

Outra diferença constrangedora: O salário dos ministros do STF este ano foi de R$ 39,2 mil (ganharam um reajuste, de 16,3%). E se aposentarem vão continuar recebendo exatamente este valor.

Mas se senhor que é um funcionário da iniciativa privada, podendo ser da diretoria de um banco, de uma fábrica, ou de uma grande rede de lojas e receber salário de R$ 6 mil reais ou de R$ 39 mil reais e quiser aposentar pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que o senhor paga uma bela percentagem todo mês, o valor máximo que o senhor pode receber é de R$ 5.839,45.

– Publicidade –

Outros destaques