Em mais um episódio da série “Esquentando os Tamborins”, vamos contar a história do Império Serrano, através de um instrumento conhecido como repique. O instrumento foi criado pelas escolas de samba e ganha esse nome por repicar sons mais agudos e é uma especie de condutor para outro instrumentos. Confira a...
No segundo capítulo da série “Esquentando os Tamborins”, vamos contar a história da Turma do Quinto, através de um instrumento conhecido como caixa de guerra. O instrumento tem uma grande importância histórica, até ser adaptado para as escolas de samba. O nome, caixa de guerra já dá uma ideia da...
O segundo capítulo da série conta a história da tradicional escola do Bairro de Fátima
O Teatro Arthur Azevedo (TAA) abriu inscrições para o curso de piano e canto coral, destinado a alunos da rede pública de ensino, com idade entre 8 a 12 anos. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas por meio de formulário eletrônico disponível no site do teatro. Os interessados...
No segundo capítulo da série “Esquentando os Tamborins”, vamos contar a história da Marambaia do Samba, através de um instrumento conhecido como tamborim. Fazendo jus ao nome da série, nós pedimos para falar com o mestre Bruno Ribeiro, o responsável por reger todos que tocam esse famoso instrumento. Confira a matéria...
Pais foram até a sede da SEMED para reclamar sobre o problema das matriculas online de escolas públicas. Veja a matéria completa: 
A ilha de São Luís amanheceu com forte chuva nesta quinta-feira (14), atrapalhando a rotina de muitos que precisavam trabalhar, estudar e seguir em seus compromissos. O grande problema é que vários pontos da capital ficaram alagados. Veja a matéria completa: 
Quem mora na rua 3 do Recanto Turu I, lamenta a situação deprimente da rua. Sem asfalto, sem esgotamento e com muitos buracos, quem precisa sair de casa todos os dias, ao botar o pé para fora, já sente o descaso sofrido. 
Criada pelo Decreto Estadual n. 31.763/16 a Patrulha Maria da Penha – PMP completou dois anos de pleno funcionamento na Capital Maranhense, atuando desde fevereiro de 2017 com a Coronel Augusta Andrade à frente da Coordenação Estadual e a Major Edyhelen como coordenadora setorial. 
Com a chegada da crise, muitas pessoas encontraram alternativas de trabalho. Uma delas é a venda de lanches nas ruas. Quem precisa sair de casa cedo e não tem tempo para fazer o café da manhã, fica tranquilo, porque existem vários trabalhadores oferecem comida boa e com bom preço. 

Anuncie