sábado, 24 de setembro de 2022

Em 2022 Brasil já tem mais de 33 milhões de pessoas passando fome

A Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN) apresentou os resultados do II Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil. O dado mais alarmante é o número de mais de 33 milhões de brasileiros passando fom.

A crise sanitária se sobrepõe às crises econômica e política que já vinha se acentuando no país e estabelece medidas de urgência de verificação da condição alimentar e nutricional da população brasileira.

Em 2014 o Brasil saiu do Mapa da Fome, um estudo feito pela ONU. Porém, menos de dois anos depois, os números se inverteram e o país retomou um rumo de retrocesso, e o Ação Cidadania já recebia os dados que mostravam um rápido retorno ao quadro de reentrada no grupo de populações que sofriam de insegurança alimentar grave.

A pesquisa verifica que a fome está presente em 56,7% dos lares brasileiros, com renda familiar menor ou igual a 1/4 do salário mínimo por pessoa e que não recebem o benefício do governo.

No começo desse ano, o número de pessoas que enfrentavam a fome com gravidade aumentou sobremaneira, comparadas com os resultados do I VIGISAN, divulgados em abril de 2021. A segunda investigação evidencia os diferentes níveis de agravamento em vários segmentos sociais como, raça/cor, escolaridade e local de moradia.

A escolaridade é item fundamental na verificação das deficiências. Em 22,3% dos domicílios, onde os responsáveis possuem apenas 4 anos ou menos de estudo, existe fome. Em 2020 esse percentual era de 14,9%.

Por ouro lado, o maior percentual de segurança alimentar é em domicílios cujos responsáveis têm mais de 8 anos de estudo: 50,6%.

Em 29 anos de luta contra a fome, a Ação da Cidadania se vê diante de um dos piores momentos dos números da fome desde sua fundação. Agora se chega ao intolerável número de 33,1 milhões de pessoas que não tem o que comer e isso num país com o potencial que tem o Brasil, como, por exemplo, ser uma fonte de agronegócio.

Este novo estudo da rede de pesquisa alimentar oferece um raio-x da atual situação alimentar dos brasileiros, e demostra claramente a urgência da instituição  de programas que tragam uma saída para a situação trágica dessa população.

O estudo completo pode ser visto aqui:

https://olheparaafome.com.br/wp-content/uploads/2022/06/Relatorio-II-VIGISAN-2022.pdf

– Publicidade –

Outros destaques