quinta-feira, 16 de setembro de 2021

Emoção: após 40 anos mãe maranhense dialoga com filho, criado no Canadá

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

A emoção na voz, o choro, o beijo dado na tela do celular não precisava de tradução. Todos compreenderam e se emocionaram com a amorosidade presente naquele reencontro entre mãe e filho, após 40 anos separados. Mas era preciso saber mais sobre a vida do filho que dona Regina Vieira não via desde que tinha um mês de idade. Para mãe também era preciso falar ao filho sobre a situação difícil por qual passava naquela época e, segundo ela, em um ato de desespero entregou o pequeno Edson para adoção a uma família canadense.

O encontro aconteceu na última semana, por meio da equipe da Agência de Intercâmbio Via Mundo. Dona Regina e o filho Edson tiveram o apoio da equipe da Via Mundo, especificamente de Marcelo Braga, produtor cultural que morou 30 anos na França. Ele traduziu todo o dialogo entre mãe e filho (Edson foi criado na parte francesa do Canadá). “Um momento emocionante e que nunca esquecerei”, afirmou Marcelo.

Para o diretor da Via Mundo, Antonio Bacelar, diminuir distâncias, proporcionar reencontros também está no DNA da Via Mundo. “Esse encontro familiar e ao mesmo tempo de culturas diferentes com certeza vai impactar as pessoas que convivem próxima a relação que se inicia. O intercâmbio é isso, essa troca pra sempre somar, compartilhar, aprender e cultivar amores, respeito, amizades”, afirmou.

Separação entre mãe e filho

Milhares de mães brasileiras, muitas aliciadas por quadrilhas, são obrigadas a entregar seus pequenos para a adoção. Dona Regina foi uma vítima da situação difícil que, mulheres negras, sozinhas e do interior do Estado do Maranhão enfrentam diariamente. E, mesmo que arrependidas do seu ato, não conseguem reverter a situação e muito menos ter notícias dos seus filhos. “Eles me prometeram que teria notícias do Edson sempre, mas somente agora, após 40 anos consegui falar com ele”, desabafou.

A história teve um final feliz. Filho e mãe se falaram pela primeira vez na semana passada por telefone. Ela não tinha mais esperança de encontrá-lo, perdeu todos os contatos da pessoa para qual tinha entregue o Edson, com apenas um mês. Na época, quando se arrependeu, sofreu ameaças para não insistir em procurá-lo. Ficou com medo e o segredo guardado (nunca falou para a família).

Edson cresceu feliz em uma família canadense, que nunca escondeu a verdade sobre suas origens. Guardando, inclusive, a certidão de nascimento. Aos 40 anos percebeu que precisava reencontrar suas origens e identidade. Ele resolveu, por meio de um departamento no Rio de Janeiro, iniciar a busca pela mãe. Entre o primeiro contato com o Brasil e a localização de dona Regina Vieira foram somente 30 dias (uma exceção nesses casos de pessoas que buscam encontrar familiares). O que facilitou foi à conservação da Certidão de Nascimento, sendo possível localizar a mãe.

O primeiro contato foi feito por meio de Assistentes Sociais de Bacabal, onde dona Regina mora. Ao retornar de uma reunião, ela foi surpreendida com a notícia de que o filho a procurava. “Não acreditei, pedia tanto a Deus por esse momento e ele me atendeu”, desabafou. O primeiro encontro foi entre dona Regina, a filha e uma sobrinha. Emoção do início ao fim para todos, inclusive toda a equipe da Via Mundo, que presenciaram esse momento único. O combinado para dona Regina e Edson é celebrar esse momento. Ele quer conhecer os outros sete irmãos em uma visita planejada para o final do ano ao Maranhão.

– Publicidade –

Outros destaques