terça-feira, 23 de julho de 2024

Empresários são presos pelo furto de R$ 8 milhões em energia

A Polícia Civil deflagrou uma ação batizada de “Operação AT – Alta Tensão”, com o objetivo de combater o crime de furto de energia, tendo como alvos, indústrias do ramo de cerâmicas. A operação foi coordenada pelo Departamento de Defesa de Serviços Delegados (DDSD), vinculado à Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC).

A operação que tem como base quatro meses de uma investigação que apura Furto de Energia Elétrica mediante fraude em Unidades Consumidoras de Alta tensão (Indústrias). Os alvos da ação foram as cidades de Pindaré-Mirim, Itapecuru-Mirim, Santa Rita e Rosário, onde as equipes policiais cumpriram oito mandados de busca e apreensão.

Dos oito mandado de busca e apreensão, cinco resultaram na prisão em flagrante dos respectivos proprietários, após os peritos criminais constatarem a manipulação ardilosa no sistema de medição de energia através de JUMPER, os quais quando instalados desviavam 100% da energia consumida pelas indústrias.

Segundo as investigações, os primeiros sinais de fraude foram detectados pela Concessionária de Energia, ao perceber a variação no consumo de energia das indústrias, através da tele medição remota, principalmente nos fins de semana, quando praticamente não há fiscalização, oportunidade em que instalavam a fraude, após desligamento da medição remota, daí a razão de termos dado cumprimento às ordens de busca. A concessionária acredita que os prejuízos com as fraudes para furto de energia já alcançaram cerca R$ 8 milhões.

A “Operação AT” contou com a participação de mais de 45 policiais, entre delegados, escrivães, investigadores Superintendência Estadual de Investigações Criminais(SEIC), Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (SECCOR) e da Superintendência de Polícia Civil da Capital(SPCC), além de peritos criminais e de mais 26 técnicos-eletricistas que auxiliaram os peritos nos exames.

– Publicidade –

Outros destaques