quarta-feira, 1 de fevereiro de 2023

Escola de balé oferece bolsa integral para a rede pública de ensino

ballet Olinda Saul

A Escola de Ballet Olinda Saul está com inscrições abertas para o Projeto “Dança Criança”, destinado a homens e mulheres com faixa etária entre 12 a 20 anos da rede pública de ensino. O prazo termina nesta sexta-feira (20) e os interessados precisam apresentar fotocópia do RG e CPF na sede da escola, no centro de São Luís.

Para este ano, foram oferecidas 190 vagas de bolsa integral, que valerá como formação para futuros bailarinos. Os inscritos nessa primeira fase serão avaliados por uma banca de profissionais da dança entre os dias 23, 24 e 25 de julho com atividades físicas de dança, música e teatro. Os aprovados iniciarão as aulas no dia 07 de agosto com aprimoramento em técnica clássica e contemporânea.

Este ano o projeto “Dança Criança” conta com o patrocínio do Grupo Mateus, através da Lei de Incentivo à Cultura, via Governo do Estado do Maranhão.

O projeto

Há 33 anos, a maestra Olinda Saul se dedica ao projeto social “Dança Criança”, que já formou muitos profissionais de dança que atuam no Maranhão e em outras companhias no Brasil. Os selecionados nesta primeira fase – que conta com mais de 150 inscritos – serão avaliados por uma banca de profissionais da dança.

“Vamos avaliar, nesta primeira fase, aspectos físicos como flexibilidade, massa corpórea, índice de gordura, etc”, diz Olinda Saul. Os novos alunos receberão bolsa integral e este ano vamos acrescentar aulas de teatro e música. Teremos médico, nutricionista, fisioterapeuta . Os alunos que forem selecionados nesta primeira fase farão a próxima etapa, onde serão feitas atividades físicas de dança, música e teatro.

Nestes mais de 30 anos de atividades, o projeto Dança Criança já formou profissionais como os bailarinos Anderson Dutra, Hiago Castro, Ana Carolina Silva, Iracema Abreu, Alyson Trindade, Ellen Bandeira, Emanoel Marques, Calina Marques, Isabella Sousa, Thalyta Sousa, Thayna Sousa, Katiane Jardim, todos atuando como profissionais de dança.

“Isto me dá um prazer imenso. Fico muito feliz em ver que os frutos deste trabalho são positivos e que estas crianças tiveram, por meio do projeto, oportunidades que talvez não tivessem caso o Dança Criança não existisse”, festeja Olinda Saul.

– Publicidade –

Outros destaques