sexta-feira, 27 de maio de 2022

G10 Editora

Especialistas divulgam carta recomendando a vacinação de crianças contra covid no Maranhão

F
Foto: Reprodução
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Na última terça-feira (25), dezenas de professores universitários, especialistas e Sociedades Científicas maranhenses se juntaram para escrever uma carta conjunta recomendando a vacinação de crianças contra a covid-19 em todo o estado. O texto foi amplamente difundido e está disponível neste link.

Na carta, os especialistas argumentam que os efeitos adversos da vacina em crianças de 5 a 11 anos são raros e, quando ocorrem, são causados por uma “ação do sistema imunológico que foi estimulado e não pela vacina em si” e que, até o momento, não foi identificado nenhum caso de reação alérgica grave e imediata neste público em decorrência do imunizante da Pfizer.

“Nunca em toda história da humanidade as vacinações foram tão VIGIADAS de forma sistemática, científica
e lógica em busca de seus potenciais danos que possam minimizar seu uso em benefício do planeta. A ANVISA e outras agências reguladoras seguem rígidos critérios internacionais em relação à segurança das vacinas”, afirma a carta. Ao fim, reitera: “recomendamos fortemente a imunização contra a COVID-19 em crianças de 5 a 11 anos de idade com as vacinas aprovadas pela ANVISA e adotadas pelo Ministério da Saúde”.

Assinam a carta a Sociedade de Puericultura e Pediatria do Maranhão,Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia – Regional Maranhão, a Sociedade Brasileira de Cardiologia – Regional Maranhão, a Sociedade Brasileira de Medicina Tropical – Regional Maranhã, a Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Maranhão e mais 33 professores universitários e especialistas.

Confira a carta na íntegra:

Vacinação de crianças no Maranhão

O início da vacinação do público de 5 a 11 anos se iniciou no estado no último dia 14. As doses pediátricas, do imunizante Pfizer, foram primeiramente destinadas a crianças com comorbidades e grupos vulneráveis – como indígenas e quilombolas. Em São Luís, nesta quinta-feira (27) já está disponível a aplicação do imunizante em crianças de 5 anos sem comorbidades.

– Publicidade –

Outros destaques