segunda-feira, 8 de agosto de 2022

Filho “polêmico” de Waldir Maranhão é o primeiro suplente de Zé Reinaldo

BRASÍLIA, DF, 09.05.2016: DILMA-IMPEACHMENT - O presidente interino da Câmara Waldir Maranhão (PP-MA) durante coletiva sobre sua decisão de suspender a tramitação do impeachment contra Dilma Rousseff na Câmara, em Brasília (DF). (Foto: Alan Marques/Folhapress)

Após várias desistências e mudanças de opinião, os suplentes do ex-governador Zé Reinaldo Tavares (PSDB) em sua candidatura ao Senado Federal foram definidos. O nome que chama atenção é o do médico Thiago Maranhão (PSDB) como primeiro suplente. Para a segunda suplência não houve nenhuma surpresa, o advogado Marcio Endles (Pode) foi confirmado.

Durante a pré-campanha, Zé Reinaldo chegou a anunciar Catulé Júnior como seu suplente, e na época da convenção do PSDB chegou-se a confirmar o nome de Karla Soares (PHS), filha do ex-prefeito de Pinheiro, Zé Genésio.

Por fim, acabou-se dando um “prêmio de consolação” para o deputado federal Waldir Maranhão (PSDB) que conseguiu emplacar o seu filho na suplência de Zé Reinaldo, após vários meses tentando alçar o seu próprio nome como um dos dois candidatos da coligação.

Exoneração do TCE

Ocorre que Thiago Maranhão foi pivô de um dos maiores “escândalos” envolvendo Waldir. O médico chegou a ser exonerado do cargo que ocupava no Tribunal de Contas da União (TCE-MA) em 2016.

A direção do Tribunal verificou que Thiago continuava recebendo os seus vencimentos normalmente apesar de ter mudado a sua residência para São Paulo, onde estaria atuando como médico e fazendo pós-graduação.

Em setembro de 2016, Thiago entrou em acordo com o TCE para devolver os R$ 565 mil que teria recebido indevidamente. De acordo com o protocolo, seria uma entrada de R$ 235 mil mais 24 parcelas de R$ 13.757.

A reportagem do PORTAL GUARÁ entrou em contato com o TCE e também com a assessoria do deputado Waldir Maranhão para confirmar o pagamento dos valores, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

No pedido de registros de candidatos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) consta que Thiago Maranhão não possui nenhum bem registrado em seu nome.

– Publicidade –

Outros destaques