quarta-feira, 7 de dezembro de 2022

Flávio Dino: “representamos todos os sem voz”

Cerimônia começou com atraso mas transcorreu tranquilamente; Dino dedicou mandato a população.

 

O governador eleito, Flávio Dino (PCdoB), o senador Roberto Rocha (PSB) e os deputados estaduais, federais receberam na tarde desta sexta-feira (19) seus respectivos diplomas para a posse em 2015. A cerimônia ocorreu no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana e teve um grande público presente.

 

Atrasada, mas dentro do roteiro. A entrega dos diplomas dos candidatos eleitos em outubro começou uma hora e meia depois do previsto e praticamente todos os deputados federais e estaduais estiveram presentes.

 

A diplomação foi feita por membros do Tribunal Regional Eleitoral e começou com os parlamentares que comporão a assembleia legislativa. A sequencia de entrega foi definida a partir do número de votos. A mesma ordem foi adotada para os deputados federais.

 

Em seguida Roberto Rocha, Pinto da Itamaraty e Paulo Matos receberam seus diplomas de senador e suplentes, respectivamente.

 

Flávio Dino e Carlos Brandão foram os últimos a serem diplomados. Dino iniciou seu discurso lembrando a amizade dos tempos de escola com o presidente do TRE-MA, desembargador Froz Sobrinho. Ele falou também do simbolismo em volta de sua diplomação e destacou que nenhum dos candidatos diplomados chegou àquele ponto sozinho. “Nenhum de nós chegou aqui sozinho. Carregamos os pedidos de muitas marias e joões. Carregamos nossa família, que comete vários sacrifícios, como o de não ter um domingo comum com eles,” disse.

 

Descontração

Em dois momentos Flávio Dino conseguiu “quebrar o gelo” na cerimônia que foi, na maior parte do tempo, burocrática. Ele lembrou o fato de, tanto ele quanto o desembargador Froz Sobrinho serem botafoguenses e quando revelou um pedido inusitado do pai, Sálvio Dino: “ele me disse que quer estar na próxima campanha, em 2018.”

 

Pelos deputados, tudo correu tranquilamente até ser chamado Roberto Campos Filho, ou Cabo Campos, como é mais conhecido. Uma pequena torcida o saudou até a chegada ao palco. O agradecimento veio em palavras bíblicas.

 

Notadamente, os deputados da “base governista” ou mais alinhados ao governador eleito foram mais aplaudidos. Humberto Coutinho, José Reinaldo, Eliziane Gama, além do Cabo Campos se sobressaíram.

 

Críticas

 

A operação lava-jato também teve destaque no discurso do governador eleito. Ele ressaltou que os acontecimentos trazidos à tona a partir da delação premiada de Paulo Roberto Costa e Alberto Yousseff, preso em São Luís supostamente fazendo a entrega de parte de uma propina pelo pagamento de um precatório à Constran, revelam que alguns modelos precisam ser mudados.

 

O presidente do TRE-MA também cobrou mudança na forma de fazer política e, sem citar diretamente, criticou a atuação de agiotas em campanhas. O caso mais notório de agiotagem envolvendo políticos no estado culminou com o assassinato do jornalista e blogueiro Décio Sá. Também referente à agiotagem, recentemente, a Polícia Federal, o Ministério Público, a Controladoria Geral da União e a Polícia Civil apreenderam documentos de empresas fantasmas cuja atuação era semelhante a de agiotas.

 

Posse

Feita a entrega dos diplomas, a próxima etapa é a cerimônia de posse que ocorre no dia 1º de janeiro para o caso do governo estadual e em fevereiro para os deputados federais e estaduais. Roberto Rocha assume também em fevereiro a vaga ocupada por Epitácio Cafeteira.

– Publicidade –

Outros destaques