domingo, 26 de junho de 2022

G10 Editora

Julgamento de suspeitos de assassinar três jovens no Coquilho é adiado para fevereiro

O julgamento do Policial Militar Hamilton Caíres Linhares e do vigilante Evilásio Lemos Ribeiro Júnior, acusados do assassinato de três jovens, foi adiado para o dia 22 de fevereiro de 2022. O crime ocoreu em 3 de janeiro de 2019, no Coquilho, zona rural de São Luís.

O julgamento aconteceria nesta terça (14), às 8h30, no 2º Tribunal do Júri de São Luís, e seria presidido pelo juiz Gilberto de Moura Lima. Na acusação, atuaria o promotor de Justiça Rodolfo Reis. O adiamento aconteceu a pedido do advogado Alan Pinheiro, defesa do PM, sob a argumentação de que o réu não teria condições de atuar por conta da internação da mãe.

Relembre o caso

No dia 4 de janeiro de 2019, foram encontrados os corpos de três jovens na região de Coquilho, zona rural da capital maranhense. Tratavam-se de Gildean Castro Silva, de 14 anos, Gustavo Feitosa Monroe, 18, e Joanderson da Silva Diniz, 17, vistos pela última vez no dia anterior após saírem de casa para catar caranguejos em um mangue próximo.

Segundo a polícia, o assassinato teria sido cometido com arma de fogo pelo PM e o vigilante que atuavam na segurança da construção de um condomínio do ‘Minha Casa, Minha Vida’ da região.

Os jovens foram sepultados no dia 5 daquele mês, no Coquilho. Comovidos e revoltados com a perda, moradores chegaram a incendiar dois ônibus que faziam o transporte dos funcionários e o setor administrativo do condomínio, assim como quebrar portas, pias e janelas das casas sendo construídas.

– Publicidade –

Outros destaques