Livro sobre a vida do ex-lutador Rei Zulu é lançado nesta quarta-feira


Procurador do Estado e membro da Academia Ludovicense de Letras, o escritor Bruno Tomé Fonseca lança, nesta quarta-feira (12) às 19h, na Livraria Amei do São Luís Shopping (Jaracati), o livro “Rei Zulu: A Majestade Bárbara”, uma biografia inédita do ex-lutador de vale-tudo Casemiro Martins, conhecido no meio esportivo como “Rei Zulu”. A noite de autógrafo terá bate-papo conduzido pelo jornalista Juraci Filho, com a presença do biografado.

A obra, com prefácio assinado pelo cantor Zeca Baleiro, tem 200 páginas e resgata a memória de um grande ídolo do esporte, cuja identidade confunde-se com a do próprio maranhense. “Trata-se de um resgate humanitário também, pois a literatura, além da arte em si própria, guarda uma função social de resgatar pessoas que estão no esquecimento”, frisa o autor.

Segundo Bruno Tomé Fonseca, a admiração por “Rei Zulu” decorre de seus feitos no esporte que escolheu e levou a sério e, também, pela pessoa que ele é. “Casemiro Martins, o Rei Zulu, é uma pessoa cujo discurso e atitude unem aquele mais humilde ao que está na escala social mais elevada da sociedade. É o retrato da simplicidade, humanidade e pureza de coração, com uma certa ingenuidade”, define.

E mais: “Zulu lutou com os grandes das artes marciais. Trilhou um caminho pioneiro antes do UFC e do Pride existirem como espetáculos milionários. Ele foi um desbravador, um corajoso, que enfrentava adversários e adversidades com muita garra e inteligência”, elogia.

Entrevistas

O contato do procurador com Casemiro Martins deu-se por intermédio do lutador e professor de artes marciais James Adler, antigo adversário de Zulu. “Depois do primeiro contato, foram quase um ano e meio de conversas e entrevistas, não somente com Zulu, mas também com outras pessoas que conviveram com ele”, conta o escritor.

De acordo com o procurador, foi gratificante e desafiante escrever sobre o universo de lutadores e ex-lutadores, o que o obrigou a muita investigação em vídeo, documentos e fontes históricas como registros jornalísticos na Biblioteca Nacional.

“Entre outras coisas, percorri fontes de arquivos pessoais do Rei Zulu, além de quase seis horas de entrevistas em áudio. Isso obriga o escritor a ter muita responsabilidade e zelo no tratamento das informações”, diz.

A obra, conforme define o autor, é um microcosmo da biografia dos desbravadores de um universo gigante, o do UFC, e outras federações correlatas. “Rei Zulu foi um retirante da luta, um nômade, que correu o Brasil (e alguns países do mundo), desbravando e procurando adversários de toda a natureza e sem distinção.

Serviço

O quê? Lançamento de “Rei Zulu: A Majestade Bárbara”

Quando? Dia 12 de dezembro, às 19h

Onde?  Livraria Amei do São Luís Shopping (Jaracati)