domingo, 25 de setembro de 2022

Luto! Morre mestre Mundoca, cantador do Boi da Floresta

A cultura do Maranhão está de luto! Morreu, nesta terça-feira (12), o mestre Mundoca, aos 82 anos, cantador do Boi da Floresta. Clemente Domingos Pinheiro era o último fundador vivo do Boi da Floresta de Mestre Apolônio.

Mundoca estava internado no Hospital do Servidor há quase dois meses, por conta de problemas cardíacos.

O velório ocorre na casa dele, localizada na Rua 5, casa 163, no bairro do São Francisco. O sepultamento vai acontecer no fim da tarde desta quarta-feira (13).

Homenagem

A Avenida Ana Jansen, no bairro São Francisco, em São Luís, ganha novo cartão postal. Foi graffitada a imagem do mestre ‘Mundoca’, cantador de toadas do Bumba meu Boi da Floresta de Apolônio Melônio, que arrastou multidões por quase 50 anos nos festejos juninos da capital e de cidades no interior do Maranhão.

Hoje, aos 81 anos, já cansado e com dificuldades para caminhar, mestre ‘Mundoca’ ainda arranja forças para participar das brincadeiras do Boi, mesmo como espectador, de longe: “Todos os anos, eu faço questão de participar das brincadeiras. O Boi da Floresta faz parte da minha vida. Estou muito feliz com essa homenagem. E que bom que ainda estou vivo pra ver isso acontecer”, fala o mestre.

Clemente Domingos Pinheiro – nome de batismo desta grande personalidade -nasceu em 11 de novembro de 1939, em São Bento Novo do Maranhão, onde, aos 14 anos, teve o primeiro contato com as brincadeiras de Bumba meu Boi.

Chegou em São Luís aos 17 anos, época em que começou a trabalhar no porto; e, aos 33 anos, começou a brincar no Boi da Floresta, ao lado de Apolônio Melônio (fundador do Boi).

O primeiro mural construído pelo Projeto “Amo, Poeta e Cantador: Murais da Memória pelo Maranhão” foi em homenagem ao mestre Leonardo, do Boi da Liberdade, graffitado entre 19 e 23 de abril, no Centro de Saúde do bairro da Liberdade (São Luís/MA); e o segundo, em homenagem a Francisco Naiva, do Boi de Axixá, foi feito entre os dias 24 e 27 de maio, na referida cidade. O terceiro, de mestre Mundoca, foi graffitado entre 17 e 19 de junho.

O projeto vai construir, ao todo, neste ano de 2021, 10 murais. Faltam ainda dois em São Luís e outros cinco em Cururupu, Barreirinhas, Guimarães, Viana e São José de Ribamar. O “Amo, Poeta e Cantador” é uma realização do Bumba meu Boi da Floresta e do Artista Gil Leros, com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Benfeitoria e do SITAWI.

Paralelamente à confecção dos murais, imagens estão sendo captadas para a produção de um documentário, que vai contar a história, tradição, trajetória e sotaques, e falar também sobre as grandes personalidades do Bumba meu Boi do Maranhão.

– Publicidade –

Outros destaques