quinta-feira, 5 dezembro, 2019
Início Bem-Estar & Saúde Maranhão lança boletim social voltado para enfrentamento do suicídio

Maranhão lança boletim social voltado para enfrentamento do suicídio

Como parte das ações de conscientização do mês de prevenção ao suicídio, o Setembro Amarelo, o Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) lançou, nesta quarta-feira (25), a 1ª edição do Boletim Social do Maranhão, que traz como título “Suicídio no Maranhão: informação para vida”.

O principal objetivo da publicação é fornecer indicadores de fontes oficiais sobre o suicídio para subsidiar a elaboração de políticas públicas de enfrentamento desses casos no Maranhão.

Para baixar a versão completa do Boletim Social, acesse: http://imesc.ma.gov.br/portal/Post/view/socioeconomicos/314

O presidente do Imesc, Dionatan Carvalho, destacou que o documento tem como princípio colaborar para a prevenção ao suicídio, a partir da análise dos indicadores oficiais disponíveis.

“Trata-se de uma questão de saúde pública, por isso é muito importante que tenhamos informações objetivas sobre o tema. Nossa intenção é que os dados compilados pela equipe técnica do Imesc colaborem para a construção de políticas públicas mais eficazes, ajudando gestores e profissionais da área”, explicou o presidente do Imesc.

Os dados coletados e sistematizados referem-se ao período de 2011 a 2017, considerando o local de residência das notificações. Entre os dados divulgados, estão números sobre a tentativa de suicídio: entre mulheres, por exemplo, o número é duas vezes mais alto do que em homens.

“Desde 2014, todos os casos registrados como tentativa de suicídio passaram a ser de notificação imediata no âmbito municipal, com encaminhamento da pessoa para a rede de atenção à saúde”, explica Talita Nascimento, chefa do Departamento de Estudos Populacionais e Sociais do Imesc.

Indicadores

O Boletim Social revela que, no Brasil, uma em cada quatro pessoas que tentaram cometer suicídio já haviam tentado anteriormente. No Maranhão e no Nordeste, por exemplo, a proporção é de uma em cada três pessoas.

Outros dados importantes da publicação analisam informações como: percentuais de lesões autoprovocadas, intoxicação exógena, óbitos por suicídio, dentre outros.

“Trata-se de uma pesquisa técnica que disponibiliza dados do Maranhão, contextualizando com as realidades nacional e regional. Foram compilados dados de tentativas de suicídio e de óbitos por suicídio”, analisa Talita Nascimento.

Dados da OMS

Segundo o relatório Suicide in the world – Global Health Estimates (2019), da Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio é um grave problema de saúde pública mundial e está entre as vinte principais causas de morte no mundo. Há mais mortes por suicídio do que por malária, câncer de mama, guerra ou homicídio e cerca de 800 mil pessoas comentem suicídio a cada ano.

A OMS considera como prioritária a redução da mortalidade por suicídio em sua meta global, e foi incluída como indicador nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), na dimensão saúde, dentro do objetivo “Saúde e bem-estar”.

- Publicidade -

Mais recentes

Consumo de cigarros ilegais cai no Brasil pelo segundo ano consecutivo

O consumo de cigarros ilegais caiu no país pelo segundo ano consecutivo, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca). Em 2018, pouco...
- Publicidade -