sexta-feira, 3 de fevereiro de 2023

Maranhão na maior feira de ciências do mundo

O aluno Matheus dos santos, cursa o ensino médio e leva para a feira o projeto “Potencial medicinal, composição fitoquímica e identificação de compostos bioativos em extratos do estigma de Zea mays L.”


 

 

Um estudante de ensino médio representa o Maranhão na maior feira de ciências do mundo, a Intel ISEF (Intel International Science and Engineering Fair). Matheus dos Santos Passo estuda no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão – Campus Imperatriz e leva para a feira o projeto “Potencial medicinal, composição fitoquímica e identificação de compostos bioativos em extratos do estigma de Zea mays L.”.

 

 Além do Matheus, outros 30 estudantes, representando 10 estados brasileiros, expõe seus projetos no evento, que acontece nos Estados Unidos. O projeto maranhense foi selecionado pela FEBRACE, feira associada à Intel ISEF no Brasil.

 
A edição 2015 da Intel ISEF acontece de 10 a 15 de maio, no David L. Lawrence Convention Center, em Pittsburg, estado da Pensilvânia. A feira reúne mais de 1.600 dos mais promissores e inovadores jovens cientistas do mundo, que apresentam seus projetos independentes de ciências e concorrem a US$ 4 milhões em bolsas de estudos e prêmios. Os vencedores serão anunciados no dia 15 de maio.

 
A ISEF é realizada desde 1950 e já revelou milhares de projetos inovadores, patentes e cientistas brilhantes para todo o mundo. Desde 1996, a feira conta com o patrocínio da Intel e traz o nome de Intel ISEF – Intel International Science and Engineering Fair. A Intel Brasil já levou mais de 750 jovens à feira.

 

Mais sobre o projeto do maranhense:

O estudo visa compostos bioativos nos extratos do estigma, conhecidos popularmente como cabelo, barba ou boneca, do milho Zea mays L.(pertencente à família Gramineae/Poaceae, sendo o terceiro cereal mais cultivado do planeta), a partir de suas propriedades químicas e farmacológicas, verificando o seu potencial medicinal. Os resultados apontam para a ação diurética, antioxidante e anti-inflamatória no estigma do milho, tendo também o efeito de vaso dilatação pela ativação da microcirculação, como também a ação anti-inflamatória pela absorção dos metabólitos, identificando o potencial dos estigmas no combate à celulite. Os resultados expostos no projeto confirmam o potencial medicinal da espécie e implicam a possibilidade do desenvolvimento de novos fármacos no futuro, tendo em vista a composição química de Z. mays L., proporcionando tratamentos mais seguros, eficazes e de baixo custo.

– Publicidade –

Outros destaques