sábado, 19 setembro, 2020
Início Maranhão Maranhão reduz em 40% internações com vítimas de trânsito

Maranhão reduz em 40% internações com vítimas de trânsito

Um levantamento realizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), mostrou que o Maranhão teve uma redução de 40% no número de internações por acidentes de trânsito. Apenas cinco estados brasileiros registraram essa queda: Maranhão (40%), Rio Grande do Sul (22%), Paraíba (20%), Distrito Federal (16%) e Rio de Janeiro (2%). De acordo com o levantamento, em média, a cada um minuto, cinco pessoas morrem vítimas de acidente no trânsito. O levantamento foi realizado no período de 2008 a 2019.

Para a diretora geral do Detran-MA, Larissa Abdalla Britto, o esforço para conscientizar a sociedade sobre suas responsabilidades no trânsito já apresenta muitos resultados positivos. “Durante quatro anos, o Detran-MA colocou como prioridade as ações educativas como meta de redução de acidentes no trânsito. Ao aderir a este compromisso, o Detran-MA fortalece suas atividades em todo o Maranhão, e cumpre uma das suas principais missões, que é a de salvar vidas”, destaca.

Custos para o SUS

O levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM) aponta ainda que, de 2009 a 2018, os acidentes nas ruas e estradas do país deixaram mais de 1,6 milhão de feridos, gerando um custo direto de quase R$ 3 bilhões para o Sistema Único de Saúde (SUS). Isso prova que os acidentes de trânsito constituem um grave problema de saúde pública e que provoca sobrecarga nos serviços de assistência, em especial nos prontos-socorros e nas alas de internação dos hospitais.

Se por um lado as tragédias no trânsito trazem dor e sofrimentos aos pacientes e seus familiares, por outro, elas também estendem suas consequências para o bolso dos brasileiros. Na última década, as internações hospitalares decorrentes de acidentes de trânsito consumiram cerca de R$ 2,9 bilhões do SUS, em valores atualizados pela inflação do período.

Segundo a análise do CFM, a cada hora, em média, cerca de 20 pessoas dão entrada em um hospital da rede pública de saúde com ferimento grave decorrente de acidente de transporte terrestre. Ao avaliar o volume total de vítimas graves do tráfego nos últimos dez anos (1.636.878), é possível verificar que 60% desses casos envolveram vítimas com idade entre 15 e 39 anos, sendo menor a frequência nas faixas etárias que vão de zero a 14 anos (8,2%) e em maiores de 60 anos (8,4%). Outra constatação: quase 80% das vítimas eram do sexo masculino.

- Publicidade -
Categorias relacionadas:
- Publicidade -

Mais recentes

Concessionária pode multar se ficar comprovada alteração no medidor de energia

Uma empresa concessionária de energia elétrica pode multar o consumidor se comprovada alguma adulteração no medidor de energia. Foi assim que entendeu o Judiciário...
- Publicidade -