quinta-feira, 8 de dezembro de 2022

Maranhão Volêi encara terceiro colocado na Superliga

    Ano novo, novas conquistas. É o que espera a equipe do Maranhão Vôlei que terminou 2014 com onze derrotas e uma vitória na Superliga. Na volta do torneio, o time terá uma tarefa difícil para conseguir a segunda vitória e a classificação para os playoffs. Fora de casa, a equipe enfrenta o Molico/Osasco (SP), terceiro colocado na tabela. O jogo será às 18h30 (horário local) no Ginásio José Liberatti.

 

    Este jogo marca o início do returno da fase de classificação da Superliga para as duas equipes. O Maranhão Vôlei tenta iniciar uma nova fase na competição. No primeiro turno, a equipe só conseguiu uma vitória em 12 jogos e só somou cinco pontos. Caso ainda pense em classificação para os playoffs, a equipe precisa de uma campanha bem superior em relação a realizada no 1º turno.

 

    A diferença entre o MV e o atual oitavo colocado, São Caetano (SP) é de dez pontos. Uma sequência de bons resultados pode colocar a equipe de novo na briga por uma vaga entre as oito melhores equipes. Atualmente, o Maranhão Vôlei está na 12ª posição e o último jogo das maranhenses, ainda em 2014, foi no dia 21 de dezembro, fora de casa, quando foram derrotadas por 3 a 0 para o Praia clube (MG).

  

    Porém a sequência de jogos não é nada boa para o único representante da região Nordeste na competição. Nas próximas três rodadas, o MV enfrenta a três primeiras colocadas e favoritas ao título. Após enfrentar o Osasco, o Maranhão recebe o Sesi (SP) atual vice-líder e depois viaja para enfrentar o Rio de Janeiro (RJ), líder da competição.

 

Molico/Nestlé

    A equipe paulista só sofreu duas derrotas até o momento e ocupa a terceira posição, seis pontos atrás do líder e invicto time do Rio de Janeiro. As pretensões da equipe paulista é terminar a fase de classificação na melhor posição possível pensando nas vantagens nos confrontos de ‘mata-mata’.

 

   O elenco do Osasco é repleto de jogadoras da Seleção Brasileira como a levantadora Dani Lins, as centrais Thaisa e Adenízia, a líbero Camila Brait e a oposta Gabi.

 

Superliga

 

   A forma de disputa deste ano é igual a da temporada passada. As 13 equipes da competição participam da fase de classificação em jogos de ‘ida e volta’ e somente oito classifica-se para os playoffs’ da competição onde serão iniciada a fase de ‘mata-mata’ até a decisão.

 

– Publicidade –

Outros destaques