quinta-feira, 29 de setembro de 2022

MBL organiza manifestação pelo impeachment de Bolsonaro em São Luís

O ato ocorreu neste domingo (12) em todo o Brasil, inclusive na capital maranhense, e convoca todos que sejam contra ao presidente

Mais uma manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro aconteceu em São Luís. Desta vez, é organizado pelo Movimento Brasil Livre (MBL) do Maranhão, aconteceu neste domingo (12), as 9h, na Avenida Litorânea. O ato ocorreu em várias cidades do Brasil.

A motivação principal do ato é pelo impeachment de Bolsonaro. Para Roberto Kenard Filho, membro da coordenação estadual do MBL/MA e um dos organizadores, qualquer pessoa, de qualquer partido, é bem-vinda. Todos devem ir com vestes brancas, pois, segundo Kenard é “uma manifestação sem bandeiras”. “A briga no momento é contra um inimigo em comum: Bolsonaro”, explica.

“O Governo Bolsonaro, desde o seu início até o presente momento, sempre teve uma característica em comum: o caos. (…) Diante disso e do desastre da gestão do governo na pandemia, negar compra de vacinas, e, tentativa de fazer corrupção na compra, em meio a tantos crimes de responsabilidade, esse desgoverno deve chegar ao fim para que possamos voltar a debater política e democracia normalmente. O Brasil precisa urgentemente se livrar da doença chamada bolsonarismo”, pontuou Kenard.

Questionado sobre os votos de diversos membros do MBL em Bolsonaro no segundo turno de 2018, Kenard respondeu: “o MBL nunca apoiou Bolsonaro. O movimento deixou a cargo de seus membros escolherem o que achassem melhor, porém, em maioria, durante o segundo turno, os membros optaram pelo voto útil/crítico contra o PT”.

Apoio

Apesar de não concordar com os posicionamentos do MBL, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), afirmou ser importante que o ato ocorra, mesmo sendo organizado por forças da direita. “Quanto mais gente contra golpe e ditadura, melhor, pois assim teremos eleições para disputar contra a direita”, publicou em seu Twitter no último dia 9.

Também na sua rede social, Ciro Gomes (PDT) esteve presente na manifestação na Avenida Paulista, em São Paulo. “Seja qual for o sacrifício e risco que isso represente, há algo maior que tudo: o futuro do Brasil e da nossa democracia”, postou.

Em contrapartida, a tendência do PT do Maranhão é não apoiar. O posicionamento pessoal do presidente estadual do partido, Antônio Lobato, é que o PT não deveria se misturar com o MBL, embora ache que o movimento é legítimo. “Essa turma colaborou com o golpe e com a prisão do Lula. Além disso, ajudou a eleger esse insano que está aí”, diz. Os dirigentes do partido devem se reunir em breve para comunicar o posicionamento oficial.

– Publicidade –

Outros destaques