quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Mestre ‘Calça Curta’ será homenageado em ‘Mural da Memória’

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Começou nesta quarta (21) a construção de mais um grande ‘Mural da Memória’ em homenagem ao Bumba meu Boi do Maranhão. O mestre ‘Calça Curta’, um dos fundadores da manifestação cultural do Boi da Maioba, é o homenageado da vez. O projeto “Amo, Poeta e Cantador” já finalizou quatro dos 10 grandes murais que vai erguer em sete cidades do Maranhão, incluindo a capital, São Luís.

As matracas e pandeirões do Bumba meu Boi da Maioba, do tradicional Sotaque da Ilha, arrastam multidões durante os Festejos Juninos realizados em São Luís e outras cidades do interior do Maranhão. Com instrumentos e
indumentárias únicas, o Bumba Boi da Maioba completou, no último dia 23 de junho, 124 anos.

José Raimundo Ferreira, o saudoso Calça Curta, falecido em 1992, é um dos fundadores da manifestação cultural do Boi da Maioba, ao lado de ‘João de Chica’ e ‘Pedro Boca-aberta’. Até então, o Boi era uma brincadeira entre os
moradores de vilarejos do bairro da Maioba para homenagear os santos padroeiros do período junino. Eles confeccionavam os seus próprios instrumentos de forma artesanal – e isso tudo começou em 1897.

Somente no início da década de 1960, com Calça Curta e demais coordenadores da brincadeira, o hoje reconhecido batalhão do Boi da Maioba teve sua sede estabelecida em um barracão e ganhou, ainda, uma capela, onde os principais rituais do Boi, como ‘batismo’ e ‘morte’, passaram a ser realizados. O local atualmente é conhecido como Associação do Boi da Maioba.

Há 60 anos, aproximadamente, o Boi da Maioba é coordenado pela família ‘Ferreira’, do mestre Calça Curta. Hoje, o presidente da brincadeira é José Inaldo Ferreira (Zé Inaldo), filho de Calça Curta; e a vice-presidente, que
também é diretora de Comunicação, é Cecilene Ferreira – neta dessa grande personalidade do Bumba meu Boi do Maranhão, que vai ter sua imagem grafittada no barracão sede do Boi da Maioba, a partir das 15h de hoje (21
de julho).

A construção de grandes ‘Murais da Memória’, e também de um documentário, em homenagem a personalidades que marcaram a história do Bumba meu Boi do Maranhão é uma idealização do artista plástico Gil Leros em parceria com o
Bumba Boi da Floresta de Apolônio Melônio, e conta com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Benfeitoria e do SITAWI Finanças do Bem.

– Publicidade –

Outros destaques