terça-feira, 23 de julho de 2024

‘Minha vida não pode acabar’, diz brasileiro prestes a ser executado

Será a primeira vez na história que um brasileiro é executado por um governo do Exterior.

 

 

O brasileiro Marco Archer Cardoso, de 53 anos, que será executado às 15h deste sábado (17), madrugada no horário da Indonésia, gravou um vídeo emocionante dentro da prisão. Nas imagens, ele afirma que cometeu um “erro gravíssimo”, mas pede uma nova chance. Será a primeira vez na história que um brasileiro é executado por um governo do Exterior.

 

— Estou ciente cometi um erro gravíssimo, mas, enfim, eu mereço alguma chance, porque todo mundo erra. Eu quero voltar ao então, ao meu País, entendeu, pedir perdão a toda a minha nação e mostrar para esses jovens aí, que a droga só leva à dois caminhos, ou à prisão ou à morte. Eu vou lutar até o fim, porque realmente minha vida não pode acabar dessa maneira, de uma maneira dramática, eu sendo fuzilado na Indonésia.

 

Instrutor de voo livre, Archer foi preso em 2003, quando tentou entrar na Indonésia com 13,4 kg de cocaína escondidos em tubos de uma asa-delta. O brasileiro foi condenado em 2004 e, desde então, foram inúmeras as tentativas de reverter a pena.  Muitas delas vieram do governo brasileiro que, desde a condenação, tenta em vão evitar a execução dos dois brasileiros. Foram enviadas seis cartas, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff.

 

Além de Archer, nascido no Rio de Janeiro, serão executadas mais cinco pessoas, de outras nacionalidades. A execução será por fuzilamento. A Anistia Internacional e Human Rights Watch, ONG (organizações não governamentais), também não tiveram sucesso ao interceder em favor dos brasileiros. A Humans Rights Watch anunciou que a decisão da Justiça da Indonésia tinha caráter irrevogável. 

 

Assista ao vídeo: 

– Publicidade –

Outros destaques