Morre aos 115 anos, Dona Bazica, matriarca do Boi da Pindoba

Redação com informações de Jairon Martins.


Matriarca do Boi da Pindoba, Dona Bazica, morreu aos 115 anos. Foto Nael Reis

Dona Brazilizia Rosa da Conceição ou ‘Dona Bazica’, como era conhecida a Matriarca do Boi da Pindoba, faleceu na noite do último domingo (16), aos 115 anos, de falência múltipla dos órgãos. Ela também era conhecida como uma das primeiras moradoras de Paço do Lumiar.

Dona Bazica nasceu em São Luís, em uma tapera no Porto de Mocajituba, e se mudou com a família ainda cedo para o terreno onde morava atualmente.

No papel, Dona Bazica tinha ‘apenas’ 110 anos. Isso porque, quando ela nasceu, o pai dela tirou o documento quando ela tinha apenas 5 anos de idade e marcou a data de nascimento para aquele mesmo ano.

Foi na roça que ela aprendeu um ofício, ajudou os pais e criou seus sete filhos, todos de forma natural dentro de casa e sem parteira.

Mas a história de Dona Bazica se confundi com a fundação do Boi da Pindoba. Ela só não é uma das fundadoras do bumba meu boi que leva o nome da localidade porque ele nasceu um pouco antes, em 1885, mas pode-se dizer que ela cresceu junto com a brincadeira, e foi moldada por ela.

Força e irreverência marcaram a vida de Dona Bazica. Uma vida que foi dedicada ao boi e a cultura da cidade. Ainda com 90 anos, ela era figurinha carimbada em todas as celebrações da brincadeira do Boi da Pindoba.

Em uma de suas entrevistas, ela falou sobre o amor pelo boi. “A brincadeira do boi é a mais bonita que existe em todo o mundo. Não tem boi como esse”, celebrava Dona Bazica.

A morte de Dona Basica foi a segunda baixa no Boi da Pindoba em menos de 3 meses, já que o boi já havia perdido também a Presidente de Honra,   Radialista Helena  Leite, no dia 29 de Março.

*