quarta-feira, 24 de julho de 2024

Sem ondas, Mundial de Surf é adiado para quinta

As anfitriãs da festa, as ondas de Pipeline na praia de North Shore, resolveram tirar uma folga e o mar ficou “flat”, sem ondas no vocabulário do surf. Assim, pelo quarto dia seguido as baterias foram adiadas. Segundo a direção do evento, Associação de Surfistas Profissionais – ASP, o swell (ondulação) deve aparecer nesta quinta (18), com ondas ultrapassando os 3 metros. A competição está prevista pra iniciar às 15h30 (horário de Brasília). Mas caso o swell não tenha força, a ASP pode adiar, novamente, as baterias para começar a partir das 20h (de Brasília), referente ao meio dia no Havaí.  

 

A organização do WCT, o circuito mundial,  tem até o sábado (20) para definir o campeão mundial de surf.  Se o mar não melhorar em North Shore, a ASP pode mudar a competição de praia.

 

O Pipeline Masters, a última etapa do circuito mundial (WCT), que acontece na praia de North Shore – Havaí,  estava previsto para iniciar desde o dia 8 de dezembro, início da janela de espera para o evento. Somente na sexta (12), o brasileiro Gabriel Medina estreou com vitória na competição, ao vencer a bateria contra o havaiano Reef McIntosh e o australiano Dion Atkinson.

 

Na terceira fase, Medina enfrenta o havaiano Dusty Payne, líder da Tríplice Coroa Havaiana. Mick Fannig enfrenta o francês Jeremy Flores. O onze vezes campeão mundial, Kelly Slater, mede forças com o brasileiro Alejo Muniz, que se vencer Slater, já elimina um dos adversários do paulista Gabriel Medina.  

 

Conheça as ondas de Pipeline

 

Pipeline e Backdoor são ondas que ficam na mesma praia, North Shore, ilha de Oahu. Quebram em bancadas formadas por corais e pedras vulcânicas. A diferença entre elas é o local (posicionamento da onda) e como elas se formam. Enquanto Pipeline quebra para a esquerda, a primeira bancada de corais é Banzai Pipeline, Backdoor vai para a direita. Cada uma delas têm suas particularidades e exige dos surfistas um posicionamento diferente no mar. Por conta dos ventos, as ondas nem sempre aparecem no mesmo momento.

 

A matemática do surf para Medina ser campeão mundial:

 

— Se chegar até a final no Havaí, Medina conquista o título mundial sem depender de outro resultado;

 

— Se perder nas quartas ou na semifinal, tem que torcer para Mick Fanning não ganhar a etapa; — Se perder na quarta ou na quinta rodada, Medina acaba com as chances de título de Kelly Slater e tem que torcer para Fanning não chegar à final;

 

— Se perder na segunda ou terceira rodada, precisa torcer para Slater não vencer a etapa e Fanning não chegar à semifinal;

 

— Neste último caso, se o australiano parar nas quartas, há bateria extra.

 

– Publicidade –

Outros destaques