segunda-feira, 21 setembro, 2020
Início Colunista Na falta do álcool em gel, lavo as mãos?

Na falta do álcool em gel, lavo as mãos?

A verdade é que a frase deveria ser dita ao contrário. Em não podendo lavar as mãos, utilize o álcool em gel.

Em razão do coronavirus (COVID-19) em nosso País, e no mundo todo, o álcool em gel sumiu das prateleiras dos mercados e quando é encontrado o preço triplicou; há inflação. As vezes, existe a restrição nas vendas,  onde cada pessoa somente pode comprar dada quantidade do produto.

O que todos deveriam saber é que a lavagem correta das mãos é bem mais eficaz que o uso do álcool em gel.

Você sabe lavar corretamente as mãos?

Este vídeo mostra de forma bem divertida como podemos lavar as mãos de forma eficaz.

Lembre-se, o álcool em gel deveria ser utilizado somente quando estivermos na rua, na impossibilidade de lavar as mãos, ou para higienizar objetos que não possam ser lavados com água e sabão, como, por exemplo, o celular, a maçaneta das portas, teclado do computador e muitas outas coisas.

De acordo com Flavio Fonseca, virologista e integrante do centro de pesquisa em vacinas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), até agora não há estudos sobre a vida deste vírus em  tecidos. Porém, trabalhos com outros vírus similares mostram que normalmente os vírus podem ter sobrevida de 72 a 96 horas nos panos.

É importante destacar que para a higienização das superfícies, na ausência do álcool em gel e do álcool 70% (forma líquida do álcool), os infectologistas recomendam o uso da água sanitária e água oxigenada, desde que nas diluições corretas.

“A gente tem estudo, de outros contextos epidêmicos e de outros coronavírus que já circulavam, mostrando que desinfetantes comuns têm ação na redução da propagação do vírus. Esses estudos mostraram que a água oxigenada e a água sanitária soam eficazes na eliminação do coronavírus”, explica o infectologista Mateus Westin, professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais.

Diluir 200ml de água sanitária 2,5% (concentração comercial) em 5L de água normal – isso gera uma solução de hipoclorito de sódio (água sanitária) à 0,1%.

“Esses desinfetantes são importantes porque nem tudo pode ser limpado com água e sabão. O vírus tem a capacidade de ficar retido na superfície de um objeto e, até pelo preço, esses produtos podem são uma boa alternativa para o álcool”

Não pode ser esquecido em hipótese alguma que, se houver a  necessidade de sair de casa, ao retornar ao isolamento social, alguns cuidados devem ser tomados: retirar as roupas e colocar de imediatos para lavar, tomar banho ou pelo menos lavar corretamente as mãos, higienizar e desinfetar todo e qualquer utensilio que tenha sido exposto ao meio exterior a sua casa, como chaves, celular, bolsa, carteira etc.

Lembre-se que estamos lutando contra um inimigo invisível e pouco conhecido, e qualquer pessoa pode propagar a contaminação. Com isso, é importante não haver contato algum, nem mesmo um aperto de mãos, e sempre manter o distanciamento mínimo de 1,5m.

Por Luiza Carvalho,
Membro da Sociedade Brasileira de Toxina Botulínica e Implantes Faciais
Cirurgiã-Dentista / Endodontista
Cro-ma 3129
Instagram: @luizacarvalho
e-mail: luiza_scarvalho@hotmail.com
whats app: 98-984058874

 

Categorias relacionadas:
- Publicidade -

Mais recentes

PF apura crimes contra o sistema previdenciário do Maranhão e Piauí

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira (21/9) a Operação URBSLUZIA, com objetivo de reprimir crimes contra o sistema previdenciário nacional ocorridos nos estados do...
- Publicidade -