sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

Auxílio Combustível Governo do Maranhão

Natal mais caro terá alta no preço dos alimentos, decoração e presentes

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

As festividades de fim de ano sofrerão os impactos da crise econômica que assolou o país no decorrer de 2021. Neste ano, a ceia de Natal será uma das mais caras da história, tornando- se um peso expressivo e desproporcional no bolso do consumidor.

Itens como alimentos, decoração e presentes, os pilares materiais da ceia de Natal passaram por reajustes e estão mais caros do que os preços praticados no ano passado. O principal motivo está relacionado ao fato de que os itens que compõem a cesta básica natalina estão cada vez mais caros.

Alimentos mais caros da ceia de Natal

Alimentos como o frango inteiro são um dos mais procurados nesta época do ano, e também foi o que mais sofreu com o reajuste no preço, com uma alta de 27,34%.

Embora possa causar estranheza, em segundo lugar está o ovo, tradicionalmente usado em saladas, mas que também teve um reajuste na margem de 20%. Na última posição do top três estão os pães, que tiveram um aumento geral de 11,12%.

Mas não para por aí, pois o bacalhau, os vinhos, o lombo e o pernil suíno também tiveram acréscimos de: 7,98%, 7,77%, 6,48% e 3,44%, respectivamente. A pesquisa sobre a alta nos preços dos itens da ceia de Natal contou com o apoio do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Desta forma foi possível identificar que, de todos os produtos avaliados, somente o arroz teve uma queda no preço, de -4,25%. É importante explicar que os dados do FGV consistem em uma variação baseada no acúmulo dos últimos 12 meses, que considera o período de dezembro de 2020 a novembro de 2021.

Um levantamento prévio feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) na última semana aponta que o preço da ceia de Natal teve uma alta de 5,91% somente neste ano. 

De acordo com a FIPE, em 2020 a cesta de alimentos que compõem a ceia de Natal custava cerca de R$ 309,86, mas em 2021 esse preço já passou para R$ 328,17, um aumento total de R$ 18. 

Impacto da inflação na alta da ceia de Natal

Além das previsões quanto à alta da inflação para 9,7%, também é preciso considerar que a base utilizada para identificar o encarecimento da ceia de Natal também tem a influência da taxa inflacionária, o IPC. 

Segundo o analista-técnico da Fipe, Marcelo Pereira, “A prévia acaba ficando um pouco defasada devido aos itens que são sazonais. Por exemplo, o lombo, o pernil e o peru têm impacto maior em novembro e dezembro. Por isso, a tendência é que tenha uma alta até o fechamento do índice da cesta, na segunda quadrissemana de dezembro”, afirmou. 

Decoração e presentes

Não são apenas os alimentos que ficaram mais caros. Segundo lojistas da rua 25 de março, tradicional centro de compras de São Paulo, os artigos de decoração natalinos também estão mais caros. 

O motivo é a falta de estoque, já que devido a pandemia os carregamentos que chegam de outros países foram diminuídos ou pausados, além de ficarem mais caros. A falta de matéria prima para a construção desses itens também interferiu no valor final.

Por conta disso, os comerciantes estão tentando vender os artigos que já possuem em estoque dos anos anteriores. O que causa, por consequência, a diminuição de opções e novidades para os consumidores.

Quanto aos presentes de Natal, com o orçamento mais curto nessa reta final do ano é comum que o dinheiro já não esteja mais sendo reservado para presentar os familiares.

– Publicidade –

Outros destaques