GE

Crônica: Os 89 anos de Morricone: muleque té doido!

Posted On Sexta, 10 Novembro 2017 16:50 Escrito por

Nesta sexta-feira, o maestro Ennio Morricone completa 89 anos. O compositor e arranjador italiano compôs trilhas para mais de 500 filmes no decorrer da sua longa carreira.

Por que merece uma crônica? Por que ele está presente nos momentos mais agradáveis do cinema, momentos que justificam o epíteto de sétima arte. Momentos de emoção e de genialidade.

Para aqueles que amam o cinema (não, filmes), essa arte tão rara hoje em dia, falar de Morricone é um momento de respeito. Por exemplo, nas reuniões ocasionais na Locadora Back Beat, que Frederico machado mantém no Renascença, entre os amantes do velho cinema.

É lindo ver o diálogo entre a jovem historiadora Amanda Gato e o já bem passado médico Luís Brito. Mais de 40 anos os separam, mas os dois mantém o mesmo brilho nos olhos quando falam de Sérgio Leone, de Buñuel, ou de Felinni e de Morricone.  

É esse brilho que o cinema desperta que faz com que reverenciemos Ennio Morricone no dia do seu aniversário de 89 anos. Só lembrando que ano passado ele ganhou o Globo de ouro e o Oscar, pela Trilha Sonora de Os oito odiados, do diretor Quentin Tarantino. Não falo isso por valorizar os prêmios, mas pelo respeito por um grande homem em plena forma criativa já aos quase 90 anos.

Bom se houvesse Ennios de 17 ou 20 ou 38 anos por aí. Que houvesse Leones, Buñuéis e Felinis jovens por aí. Que houvesse artistas e, não, investidores. Desde que alguém muito inteligente e trabalhador descobriu que dá pra ganhar dinheiro com arte, os artistas estão cada dia mais ocultos.

Só pra terminar, há poucas semanas houve um encontro, um seminário, não sei bem que forma tinha o encontro. Sei que envolvia um mestrado em cultura, que envolvia arte e... cinema. Uma professora (talvez de comunicação, não tenho certeza e nem importa) levou os alunos dela, uns que apresentaram um trabalho, uma análise do Filme “Muleque té doido”. E lá, na análise, os meninos diziam que o filme era uma sequência do Cinema Novo.

Então tá.

Salve Ennio Morricone! Saúde, paz e felicidade. Vão lá no vídeo e vejam a pérola dele (e do Leone) que deixei pra vocês.

Mídia

Afiliada