GE
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 44

"A mãe dela e eu estamos mortos", diz pai de escrivã assassinada em Caxias

Posted On Sexta, 16 Maio 2014 16:54 |

A família ainda tenta entender o que ocorreu e como uma policial pode ser assassinada dentro de uma delegacia.   Flávio Veina Thé , pai da escrivã Loane Maranhão da Silva Thé morta no início da tarde desta quinta-feira (15) em Caxias (MA), ainda não conseguiu se conformar e lembra que esse sempre foi o sonho da filha. "O sonho da vida dela era ser policial. Tudo foi destruído. Agora, só tem uma filha. Mesmo assim, acredito que será feita justiça".

Pai de três filhos, seu Flávio se refere a outra tragédia que aconteceu na família no final do ano passado, quando um dos filhos morreu em um acidente de avião em Teresina. "Ela vivia para o trabalho. Gostava de estudar e era educada. A mãe dela e eu estamos mortos. Essa é a segunda tragédia na família em menos de um ano".

A família de Loane Maranhão da Silva esteve na delegacia a onde aconteceu o homicídio, o carro dela ainda estava estacionado na frente da delegacia onde trabalhou por cinco anos."Nossa família está destruída", disse o pai.

O acusado do homicídio é o gari Francisco Alves da Costa que foi denunciado pelas filhas, uma de 20 e outra de 17 anos, por prática de abuso sexual. Ele também feriu a investigadora Marilene Almeida. Ao ouvir gritos de Loane, a agente civil ainda tentou socorrê-la, mas foi esfaqueada na região do abdômen.

Ainda na tarde desta quinta-feira, familiares da vítima tiveram reunião com o delegado regional Celso Álvares Rocha.

Afiliada