agora tem segurança

Acusado de matar ex-companheira a golpes de facão no Coroadinho será julgado nesta sexta (13)

Posted On Quinta, 12 Abril 2018 15:32 | Da redação
Ivar e Andrea viveram juntos por 16 anos Ivar e Andrea viveram juntos por 16 anos

O 1º Tribunal do Júri de São Luís julga, nesta sexta-feira (13), Ivar de Matos, acusado de ter matado a golpes de facão e martelo, a  ex-companheira Andrea Miranda Teixeira. O crime ocorreu em junho de 2017, na residência do acusado, no bairro Coroadinho.

O casal viveu junto por cerca de 16 anos, teve duas filhas, estava separado há três semanas e o homem não aceitava a separação. A justiça afirma que há indicativos de que o réu praticou o crime contra a vítima em razão de sua condição de sexo feminino e em decorrência de violência doméstica, já que não se conformava com o término do relacionamento.

Ivar de Matos será julgado pelo crime de homicídio qualificado por motivo torpe e feminicídio (artigo 121, §2º, I e VI do Código Penal). Ele foi preso em flagrante, confessou o crime e teve sua prisão convertida em preventiva na audiência de custódia realizada pela Central de Inquéritos de São Luís, a preventiva foi mantida pelo magistrado Osmar Gomes e o acusado permanece preso.

A sessão de júri popular, presidida pelo juiz Osmar Gomes dos Santos, começa às 8h30, no salão localizado no primeiro andar do Fórum do Calhau. A acusação será feita pelo promotor de Justiça Luís Carlos Duarte e a defesa, pelo defensor público Adriano Jorge Campos.

Na decisão de pronúncia, o juiz titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Osmar Gomes,

 Entenda o caso

 No dia 21 de junho de 2017, por volta das 17h, policiais militares que faziam rondas na Avenida dos Africanos, encontraram um indivíduo ensanguentado passando em uma bicicleta com um facão nas mãos. Ao ser abordado, o suspeito ainda tentou fugir, mas foi detido. Como estava com uma das mãos sangrando, ele foi levado para atendimento em unidade de saúde, mas durante o trajeto os policiais foram informados via CIOPS sobre um homicídio ocorrido no bairro do Coroadinho, próximo ao local em que o autuado fora encontrado. Ao ser questionado sobre a autoria do fato, Ivar de Matos confessou o crime. Em juízo ele alegou legitima defesa, mas não conseguiu provar de forma plena.

Andrea Miranda Teixeira teve partes das mãos decepadas, sendo socorrida por vizinhos, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O assassinato ocorreu na casa do acusado para onde a vítima tinha ido pegar um fardamento de trabalho. Ela estava morando com a mãe no bairro São Francisco.

Testemunhas ouvidas durante a fase de instrução do processo disseram que Ivar de Matos ingeria bebida alcoólica com frequência e costumava chegar em casa alcoolizado. No momento do crime, o pai do acusado, com quem ele morava, estava na cadeira de rodas na sala da residência e a vítima foi ferida no quarto.

Afiliada