Siga-nos

Bem-Estar & Saúde

Estudo descobre partículas poluentes que afetam saúde de gestantes

Publicado

em

Foto: Depositphotos

Segundo um estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade Queen Mary,  em Londres. Foram identificados nas placentas das gestantes partículas de fuligem poluído, oriundo da poluição do ar das grandes metrópoles.

O Dr. Miyashita explica como funciona esse fenômeno, “estávamos interessados em ver se esses efeitos poderiam ser causados por partículas poluidoras que se deslocam dos pulmões da mãe para a placenta. Até agora, tem havido muito pouca evidência de que partículas inaladas entrem no sangue do pulmão”, ressalta.

Os pesquisadores examinaram cinco mulheres que escolheram o Royal London Hospital para dar à luz. Essas mães não fumantes puderam ter seus filhos de forma saudável. Os especialistas analisaram cerca de 3.500 células de macrófagos placentários através de um microscópio eletrônico. Foram identificadas 60 células que apresentavam 72 áreas negras semelhantes a partículas de carbono. “Nossos resultados fornecem a primeira evidência de que as partículas de poluição inalada podem se mover dos pulmões para a circulação e depois para a placenta”, declara o DR. Liu.

Políticas para combater poluição do ar causada pela indústria devem ser aplicadas de forma mais rigorosa. Em São Luís, essa ação é perceptível ao olho humano. Os armazéns do Porto Itaqui, construídos há pouco tempo apresentam uma grande camada de poeira vermelha.

Segundo a Secretária de Industria e Comercio do Estado do Maranhão, em São Luís só ano de 2017 foram registrado cerca de 311% de poluentes provocado pela industria, esse índice chega ser maior que o município Cubatão-SP, que segundo a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo emitiu 12,5 mil toneladas de poluentes em 2016.