segunda-feira, 3 de outubro de 2022

Pátios de estocagem já operam de maneira autônoma

Jérsica Cantanhede, operadora de pátio autônomo, na sala de controle em São Luís

Os pátios de estocagem de minério do Terminal Marítimo Ponta da Madeira, em São Luís (MA), já começaram a operar de forma autônoma.

A 18ª máquina autônoma foi entregue este ano, conectando o TMPM com a indústria 4.0. Agora, os equipamentos de pátio – que chegam a ter mais de 40 metros de altura – funcionam por meio de programação, sem a presença de operadores nas cabines.

Em todo o Brasil, a Vale já conta com 72 equipamentos autônomos, beneficiando diretamente mais de 300 empregados em questões de segurança e ergonomia. A implantação do projeto está sendo acompanhada de planos de qualificação dos empregados para atuarem com as novas tecnologias.

“Com a implantação do pátio autônomo, as máquinas estão ainda mais confiáveis, com sensores e outras tecnologias”, como explica a técnica Jersica Cantanhede, que há 15 anos opera máquinas de pátio na Vale. “O fato de não estar mais exposta na cabine já foi um salto. Agora esperamos aumentar ainda mais a produtividade, mantendo a segurança em primeiro lugar”, explica.

A tecnologia aplicada hoje aos pátios é uma evolução de investimentos que começaram há mais de dez anos, quando os operadores foram retirados das cabines dos equipamentos e a operação se tornou semiautônoma. E a busca por mais segurança e ergonomia em outras operações continua. Este ano, pela primeira vez, um carregador de navios foi operado de forma 100% remota no Terminal de Ponta da Madeira.

A operação remota também já é aplicada aos viradores de vagão, responsáveis pela descarga do minério que chega nos trens em Ponta da Madeira.

– Publicidade –

Outros destaques