domingo, 21 de julho de 2024

PF deflagra operação contra contrabandistas no aeroporto de Imperatriz

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (6), no município de Imperatriz, no Maranhão, a Operação Contra Vapor visando combater a prática dos crimes de Contrabando de D.E.Fs (Dispositivos Eletrônicos de Fumar), popularmente conhecidos como Cigarros eletrônicos e Associação criminosa.

Foram cumpridos 13 mandados de Busca e Apreensão, medidas cautelares diversas da prisão consistente na suspensão do funcionamento comercial de dois estabelecimentos envolvidos na venda dos produtos e a retirada da internet de oito páginas que divulgavam e comercializavam a venda do produto ilícito e seus acessórios, expedidos pela 1ª Vara Federal Cível e Criminal da Subseção Judiciária de Imperatriz, no Maranhão.

A operação foi desencadeada no bojo de Inquérito Policial instaurado pela Polícia Federal após a apreensão de cigarros eletrônicos ocorridos em março desse ano no Aeroporto de Imperatriz, no Maranhão, durante as diligências realizadas foi constatado a existência de diversos pontos de difusão do material criminoso e a identificação de algumas possíveis autorias o que levou a equipe de investigação representar pelos mandados expedidos e cumpridos na presente data como forma de robustecer o arcabouço probatório e a identificação de outros participantes dos delitos cometidos.

Estão participando da Operação Contra Vapor 51 policiais federais do Estados do Maranhão e Tocantins. Os investigados poderão responder por associação criminosa (art. 288, do Código Penal e Contrabando (art. 334-A, do Código Penal) com penas que podem chegar a oito anos de prisão.

Até o presente momento cinco pessoas foram presas em flagrante delito por vender, expor à venda ou manter em depósito no exercício da atividade comercial mercadoria proibida pela lei brasileira.

Foram localizados nos locais vasto material probatório, dentre eles cigarros eletrônicos e acessórios, que em uma primeira parcial foram apreendidos em torno de 750 aparelhos e 550 acessórios, as diligências seguem em andamento em outros locais.

A operação foi denominada Contra Vapor por ser uma expressão popular utilizada em alguns estados com o significado de contra golpe e no âmbito da presente investigação vapor ser uma das denominações utilizadas pelos vendedores e usuários do produto criminoso.

– Publicidade –

Outros destaques