Polícia apresenta quadrilha que clonava chip e pedia dinheiro


Foto: Gilson Ferreira

A Polícia Civil do Maranhão por meio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC) apresentou nesta quarta-feira (16), um grupo que foi preso pela acusação de crimes em estelionato e associação criminosa.

A quadrilha clonava um número de chip de celular, e por meio de aplicativo de mensagens de texto, entrava em contato com familiares e amigos da vítima, para pedir valores por transferências bancárias.

Os acusados José Jorge Xavier Alves; Lottas Mateus Ribeiro Caldas; Hallen Devid Cosmo do Nascimento; Bruno Nascimento Alves de Morais; Marcos Aurélio Santos Freitas Filho; Márcia Sebastiana Sousa de Jesus e Anniele Raina Barreto Granjeiro se passavam pela vítima do chip clonado e pediam ajuda financeira. O grupo criminoso fez vítimas em vários municípios do Maranhão.

Um dos investigados já fora preso pela SEIC, pelo mesmo tipo de crime, mas encontrava-se gozando do benefício da Liberdade Provisória.

Relação com chips de prefeitos clonados

Alguns políticos relataram que foram vítimas de clonagem de chip, o prefeito de Alto Alegre do Pindaré, Fufuca Dantas (PP) teve nesta terça-feira (15) seu telefone celular clonado, e conhecidos pediram dinheiro por meio do Whatsapp.

O prefeito de Paço de Lumiar, Domingos Dutra, relatou que também teve o chip clonado. A polícia revelou que estão investigando o caso, e que tudo leva a crer, que essa quadrilha foi a responsável por essas clonagens. Inclusive, de políticos do  Paraná.