segunda-feira, 21 de junho de 2021

Arraial Live Guará - Faltam 2 dias
Polícia Civil realiza prisão por homicídio e comércio ilegal de arma

Polícia Civil realiza prisão por homicídio e comércio ilegal de arma

Foto: PC-MA
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

A Polícia Civil do Estado do Maranhão, por meio do 1º Distrito Policial de Coroatá, cumpriu na tarde da última sexta-feira (17), mandado de prisão expedido pelo Plantão Regional Criminal de Caxias, e prendeu um suspeito da prática do crime de tentativa de homicídio contra o Luis Silva de Moraes, crime ocorrido dia 03 de Abril de 2020.

Além disso, o acusado responde a outros dois processos, de nº 419-32.2018.8.10.0035 e 439-86.2019.8.10.0035, ambos pela prática, em tese, de crime de roubo majorado, além de ser indiciado no inquérito Policial 746-40.2019.8.10.0035, que também investiga a prática de tentativa de homicidio.

Ainda em Coroatá, foi realizada prisão em flagrante, por volta das 17h de terça-feira (15), a equipe do 1º Distrito Policial, após averiguação de denúncia anônima. O suspeito foi preso por Comércio Ilegal de Arma de Fogo, Acessório ou Munição, crime tipificado no Artigo 17, §1º da Lei 10.826/2003. A prisão se deu na Rua São Rafael, Bairro Mariol, Coroatá/MA.

Após a abordagem inicial aos moradores, foi realizada uma busca minuciosa na residência, ocasião em que foram encontradas as seguintes munições:

Setenta munições calibre .38;
Dezesseis cartuchos calibre 9.1;
Aproximadamente um mil e quarenta e três espoletas 8,45 TUPAN;
Duas cápsulas de munição .22;
Dez munições calibre .32;
Aproximadamente 100g de Pólvora;
Vinte munições calibre .25;
Oito cápsulas de munição calibre .20;
Uma espingarda calibre 5.5 (.22”);
Uma espingarda calibre 4.5;
1.400g de chumbo com variados tamanhos e diversas ferramentas para a produção de munição de calibres variados.

Após a autuação e as comunicações necessárias, a flagranteada foi encaminhada à unidade prisional de Coroatá, onde aguardará as determinações judiciais.

– Publicidade –

Outros destaques