terça-feira, 7 de fevereiro de 2023

Polícia faz operação em assentamentos

Uma operação da Polícia envolveu doze equipes de policiais civis e militares, para realizar 17 mandados de busca e apreensão em residências em assentamentos de membros do Movimento dos Sem Terras na região tocantina.

As buscas foram feitas em casas dos assentamentos Cipó Cortado, Batata da Terra e povoados Centro do Zezinho e Centro do Toinho, nos municípios de João Lisboa e Senador La Rocque. Eles foram retirados pois incendiaram a sede da ‘Fazenda Graciosa’, além de terem praticado furto, fato ocorrido em março de 2015.

 

Algumas pessoas do MST foram presas e autuadas em flagrante, na época dos assaltos, mas em menos de 24 horas foram colocadas em liberdade. O inquérito teve sua continuidade e o delegado Fairlano Aires de Azevedo, que preside o inquérito, representou por pedido de buscas e apreensão, decretadas pela justiça e que foram cumpridas na última quinta-feira.

Na ocasião,  foram apreendidos 1 colete balístico da Polícia Civil, um par de algemas, duas gôndolas de uso exclusivo da Polícia Militar, um rifle modelo puma de repetição, espingardas de vários calibres, duas espingardas tipo por fora, quinze cartuchos calibres 32, 28 e 20, uma caixa de espoleta, um tubo contendo chumbo grosso, uma armadilha para caça, também conhecida por badoque, que calça bala calibre 12, cinco bolas de arame liso que teria sido furtado da sede da Fazenda Graciosa e uma maquita.

Os nomes que estavam sendo procurados eram: Arlando Holanda Diniz, conhecido por Orlando, líder comunitário no assentamento Cipó Cortado; Edimar Silva Ramos, conhecido por Branco; José da Silva; José Francisco Vieira de Souza, conhecido por Zé Catitu; Antonio Ales Pereira, conhecido por Cabeção ou Antonio Cabeça; José Fábio Rodrigues de Moura, Fabinho; Alessandro Cruz Gomes, conhecido por Neguim; Pedro da Silva Conceição e Ederblan Justino de Sousa.

Ao perceberem a chegada da polícia, eles fugiram e ninguém foi preso.

– Publicidade –

Outros destaques