quinta-feira, 24 de junho de 2021

Fique Ligado no São João na Guará
“Político não é profissão”, diz Alexandre Almeida

“Político não é profissão”, diz Alexandre Almeida

alexandre almeida
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

O candidato ao Senado Federal, Alexandre Almeida (PSDB), foi o entrevistado desta quinta-feira (20) da Sabatina Guará. Alexandre é advogado e especialista em Direito Tributário. Foi eleito vereador de Timon com 21 anos, e está no seu segundo mandato como deputado estadual. É o candidato mais jovem a disputar uma vaga para o Senado nas eleições 2018.

Alexandre defendeu que a sua candidatura é o projeto de mudança que o Maranhão precisa no Senado. “Eu não venho de uma família de políticos e acredito em um novo momento para o estado, e só através da mudança, de novas ideias e principalmente de uma nova postura é que a política do Maranhão vai mudar. Não basta ser novo na idade, é preciso ser novo nas práticas”, declarou.

O candidato ressaltou que foi convidado pelo PSDB para ingressar  na missão de promover uma verdadeira mudança no cenário político do estado. “Roberto rocha me convidou porque entendeu que o PSDB precisava de uma candidatura nova, ele sempre defendeu meu nome para o Senado”, ressaltou.

“Tenho experiência necessária para mudar”

O candidato rebateu a ideia de que apesar de ser novo para os parâmetros dos políticos que ocupam as cadeiras do Senado, tem experiência na vida pública. “Iniciei com 21 anos, tenho 14 anos na política, estou no segundo mandato de deputado estadual,  fui candidato por sete vezes, me candidato sempre, porque acredito na mudança”, enfatizou.

Alexandre defendeu que sua trajetória foi marcada pela clareza, que mais do ter a ficha limpa, tem uma vida limpa. E exaltou que é necessário que o eleitor pesquise a vida dos candidatos.

“Política não é profissão”

Alexandre é advogado, e disse que é necessário mudar essa prática, de que ser político é uma profissão. “Eu não vejo a política como um trabalho, ela deve ser um meio para trabalhar pelo povo. Me disseram que eu estava pondo em risco meu cargo como deputado, mas por pensar diferente é que decidi pela minha candidatura ao Senado”, afirmou.

“Ainda não está nada definido”

Sobre não estar entre os candidatos mais cotados na pesquisa. Alexandre destacou que a pesquisas mostram um fato mais importante ainda que muitas pessoas ainda não tem candidato, segundo a última pesquisa do Ibope, 17% das pessoas não tem candidato para primeiro senador e 30% para segundo senador.

“É por isso que nós estamos mostrando em nossa campanha quem são os candidatos. Antes de votar nós precisamos pesquisar a história de um candidato, peço que pesquisem a minha vida e a dos outros candidatos”, destacou.

Diminuição do Senado e na Câmara

O deputado disse que defende acima de tudo, uma postura entre os partidos. De acordo com ele, a unificação é necessária para melhorar o país.

E umas das mudanças citadas pelo candidato é a diminuição no número de senadores e deputados federais. “Defendo a diminuição de 1/3, gerando uma economia, que pode ser revestida para políticas de saúde, de educação e segurança”, destacou.

Ameaças

Alexandre que tem mostrado em seus programas eleitorais o perfil dos outros candidatos ao Senado, disse que sofreu ameaça de Edison Lobão Filho (MDB) por aplicativo de mensagem. Edison Lobão Filho é filho e suplente do candidato Edison Lobão (MDB).

No programa, Alexandre citou que Edison Lobão era investigado na justiça. “Edinho Lobão após a veiculação do programa, mandou uma mensagem ameaçadora. Procurei a Polícia Federal e registrei um boletim. Nós não estamos falando de nenhuma inverdade, tudo que queremos é mostrar para os maranhenses o perfil e a história”, finalizou.

 

 

– Publicidade –

Outros destaques