Políticos maranhenses se solidarizam com vítimas do atentado em escola

Políticos maranhenses se solidarizam com vítimas do atentado em Suzano


Tiroteio na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, a 57 quilômetros de São Paulo, deixou mortos e feridos (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Por Saulo Marino

Um ataque na Escola Estadual Professor Raul Brasil na manhã da última quarta-feira, 13 de março, na cidade de Suzano, que fica na Grande São Paulo, deixou dez mortos (incluindo os dois autores do atentado) e dez feridos. Os autores são dois ex-alunos da escola, que invadiram o local e atiraram a tiros contra os presentes. Há uma dezena de feridos.

Entre as vítimas, cinco são estudantes do ensino médio (Caio Oliveira, Cleiton Antônio Ribeiro, Douglas Celestino, Pablo Rodrigues e Samuel Melquíades Silva de Oliveira); duas funcionárias da escola (a coordenadora Marilena Vieira Umezo e a funcionária Eliana Regina de Oliveira Xavier); além do dono da locadora de veículos onde eles roubaram o carro usado no crime (identificado como Jorge Antonio Morais).

Representantes do governo do estado de São Paulo afirmaram que os atiradores eram ex-alunos, identificados como Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, Luiz Henrique de Castro, de 25 anos. Os dois foram encontrados mortos após cometerem a matança. Eles usaram um revolver calibre 38, um arco e flecha, e ao menos um machadinho.

O Governador João Doria (PSDB) decreta luto oficial de três dias. Sete horas após o atentado, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) lamentou tragédia.

O governador do estado do Maranhão, Fávio Dino (PCdoB), se solidarizou com à população da cidade e a comunidade escolar.

O Senador Weverton Rocha (PDT), publicou uma sequencia de tuítes, onde se mostrou consternado com a “terrível notícia”, além de se mostrar preocupado por ver crescer no Brasil um tipo de crime que não costumava acontecer no país. Ele afirmou ainda que “É urgente que as famílias, as escolas, as igrejas, todos os espaços públicos e todos nós nos dediquemos a ajudar nossos jovens a encontrar caminhos em que a violência não seja a resposta”.

Já o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB), disse que e necessário despertar a cultura da paz no povo brasileiro.