quinta-feira, 24 de junho de 2021

Fique Ligado no São João na Guará
População faz caminhada contra morte de terceirizados da Cemar

População faz caminhada contra morte de terceirizados da Cemar

Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin

Na manhã deste domingo (03) dezenas de pessoas se vestiram de branco e ocuparam a Avenida Litorânea, em uma caminhada que tinha dois pedidos muito especiais, paz e justiça.

A caminhada foi mobilizada por familiares e amigos de João Victor Melo e Francivaldo Carvalho da Silva, assassinados no dia 15 janeiro na região de Paço do Lumiar, quando trabalhavam prestando serviço para a Companhia Energética do Maranhão (Cemar).

Balões brancos dividiam espaço com cartazes que falam de saudade e dor, mas que também trazem pedidos de que os suspeitos, acusados de assassinarem os dois trabalhadores, sejam mantidos presos.

“Esta caminhada é para pedir que a justiça seja mais rígida com esses criminosos. Nosso sentimento é de muita dor, você pensar que seu filho sai para trabalhar e não volta mais. Pedimos que justiça pense nas decisões que vai tomar e que essas pessoas não fiquem em liberdade”, declara o José Raimundo Duarte, tio do João Victor.

SUSPEITOS E PRISÕES

Duas pessoas foram identificadas pela Polícia como suspeitas de envolvimento na morte dos eletricistas. Entre eles um menor, apreendido no dia 17 de janeiro, e que teria confessado participação no crime.

Além do menor, foi preso o irmão dele, Pablo Martin Silva, que se entregou à Polícia ainda no dia 22 de janeiro. Ele é acusado de ser o autor dos disparos que mataram os prestadores de serviço, porque estes teriam efetuado o corte de energia na casa de Pablo Martins.

PROTESTO E REIVINDICAÇÕES

Três dias depois da execução de João Victor Melo e Francivaldo Carvalho da Silva, 18, a categoria de eletricistas fez um protesto pedindo mais segurança. Uma das principais reivindicações destes trabalhadores, denunciada pelos que atuam na empresa Dínamo, que integra o Consórcio Norte, é a extinção da “Operação Sol Nascente” que faz a inspeção de fraude de energia entre as 3h da manhã e às 12h.

No dia 30 de janeiro, em reunião provocada pelo Sindicado dos Trabalhadores da Construção Civil, a categoria apresentou as reivindicações que foram discutidas entre representantes do sindicato dos trabalhadores, sindicato patronal, Cemar e Consórcio Norte.

Cerca de 22 pontos de reivindicadas formavam as pautas elencadas, como a extinção da “Operação Sol Nascente” que faz a inspeção de fraude de energia entre das 3h da manhã às 12h, mas obriga o funcionário a registrar ponto das 08h às 18h; o fim dos cortes de energia que não obedecem a ordem de vencimento, para otimizar a rota e bater meta estabelecida pela empresa; o fim do acúmulo de funções, já que o eletricista precisar exercer a função também de motorista e ainda é responsabilizado por eventuais problemas mecânicos nos veículos.

Nesta reunião ficou acordado que um outro momento será marcado para que os entes apresentem posicionamento sobre as reivindicações apresentadas pela categoria, que não descarta a possibilidade de greve.

– Publicidade –

Outros destaques